Lições que os bares nos dão!

Foto tirada pelos blogueiros Edson e Rafa do site Cervejeiro Viajante (já que fiquei bêbado e nem pensei que faria um post e mencionaria o bar, não tirei fotos)

Foto tirada pelos blogueiros Edson e Rafa do site Cervejeiro Viajante (já que fiquei bêbado e nem pensei que faria um post e mencionaria o bar, não tirei fotos)

Que tal discutirmos as curiosidades da vida?

Tipo, como é tão difícil pra gente conseguir fazer algo, enquanto pra outras pessoas é tão fácil, quando elas nem estavam tentando fazer nada.

Ontem fui tomar umas cervejas num barzinho chamado Bier Haus, que aliás super indico, fica no número 3068 da rua Tronca no bairro do Rio Branco em Caxias do Sul, mas apesar do aconchego, do visual moderno e jovem, era um barzinho, e todo bar que é realmente bar tem seus bêbados, e esses (do barzinho) em especial me despertaram essa curiosidade. Acho que vocês vão concordar plenamente comigo, filosofias para escritores são como bordões para comediantes, quando criamos uma não largamos mais, outras pessoas as adotam e assim os autores ficam até mais conhecidos, quando são dados os devidos créditos é claro, mas isso é só na maneira de falar, por que criar uma filosofia completamente original e com sentido é muito difícil, é mais fácil escrever um texto inteiro do que uma filosofia, por que a filosofia é isso, uma frase que arranque enormes textos de quem tentá-la interpretar, ou se preferirem, um texto numa pequena frase.

Mas a curiosidade que quero falar é justamente sobre esse ponto, a dificuldade que tem, um escritor, para se criar uma filosofia original e com sentido, quando os bêbados fazem isso com tanta facilidade. Está certo, as filosofias de boteco são completamente ‘sem noção’, mas é inevitável comentar que a maioria tem um sentido imenso e uma originalidade incrível.

Algumas se fossem pensadas por escritores que prefiriram sua casa à boêmia, ficariam com certeza mais sérias e respeitadas, e poderia até eternizar seu autor fazendo gerações repetí-las e escolas usá-las como base em alguns ensinamentos, por exemplo:

“Quem tem medo de cagar não come!” (essa escutei no Bier Haus)

Um escritor sério, um poeta, escreveria de outra forma, se esse texto não fosse completamente sem noção, e eu quisesse passar algo que lhes fossem útil eu diria dessa forma:

“Quem tem medo de errar não tenta!”

Aí parem e pensem no que se aprende quando se interpreta essa frase a fundo, a mensagem que ela está passando, é quase impossível fazer o mesmo na forma original ao invés de rirmos pra caramba.

Existem outras que não precisam perder o lado humorístico, mas ao menos poderiam ser mais simplificadas, vejam essa, por exemplo, também escutei no bar no Bier Haus:

“Se chiar resolvesse, Sonrisal não morria afogado!”

Uma loira levaria dias para interpretar dessa forma (brincadeirinha, adoro piadas de loiras, mas às respeito muito, a minha irmã é loira e extremamente inteligente), vejam como ficaria muito melhor e ainda assim engraçada:

“Se reclamar adiantasse não existiriam advogados!”

Outra bela filosofia foi a que escutei de um homem que nem estava assim tão embriagado, estava apenas aconselhando um marido ciumento que não aguentava mais ver os homens mexerem com sua esposa:

“A vida é como um jogo de xadrez, quanto mais a gente expõe a dama, mais perigo corre o rei!”

Essa faço questão de deixar da mesma maneira que ouvi, por que demonstra a criatividade do povo brasileiro, ou se preferir, do ‘corno brasileiro’, ou do ‘bêbado brasileiro’, sei lá!

Mas esses exemplos servem apenas para frisar o que disse no começo, nós que escrevemos sempre (ou tentamos, como no meu caso), temos tanta dificuldade de criarmos frases de efeito com sentidos redundantes, verdadeiras filosofias, enquanto bêbados com suas mentes anestesiadas conseguem isso com tanta facilidade. Por que o mundo é tão complicado? Querem saber o pior mesmo? O pior não é não conseguir, mas sim não poder fazer o mesmo, por que das duas uma (ou até as duas mesmo): se formos ao bar beber para tentar escrever alguma coisa, ou vamos conseguir uma bela dor de cabeça na ressaca do outro dia, ou vamos arrumar uma tremenda briga com nossa cônjuge!

E dentre essas duas opções prefiro ficar com a dor de cabeça de tentar arrumar alguma inspiração em casa mesmo, apesar de que hoje estou de ressaca.

Gill Nascimento

Anúncios
Deixe um comentário

2 Comentários

  1. O Bier Haus é top dos tops

    Curtido por 2 pessoas

    Responder
  2. Sou um poeta se assim for o caso

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: