Sobre o fanatismo…

Se tem uma coisa que as Redes Sociais me ensinaram, é que lá aprendi sobre quais tipos de pessoas que não quero ter por perto fora dos limites da Internet.
Quem me segue no Twitter sabe que tenho um bom número de seguidores, isso deveria em si ser legal, mas muitas vezes não é, principalmente porque tudo que você escreve sempre é contestado, é aí que entra o que eu disse antes, tenho aprendido que tipo de pessoas quero ter distância.
Eu naquela Rede Social sou a estampa do que sou na vida real, uma pessoa animada e piadista, e por fazer piada demais, dependendo do assunto sempre me deparo com críticas e repreensões de pessoas fanáticas.
Eu, particularmente, odeio fanatismo. Quer defender seus ideais? Ótimo. Quer mostrar seu ponto de vista? Maravilhoso. Quer mostrar sua paixão por algo? Acho justo. Mas não precisa arrumar briga com todo mundo que tem um conceito diferente do seu, nem achar que o mundo inteiro está errado e que só você está certo(a).
Uma das bases do ato VIVER, na minha opinião, é a conquista, claro que vem sempre seguida de uma luta, de uma batalha. Se você tem um ideal muito forte que não te abandona sequer um segundo do seu dia, faça as pessoas simpatizarem por ele, conquiste o interesse e a curiosidade delas, ao invés de fazê-las sentir asco, porque cá entre nós, vivemos num mundo generalizador, a maioria das pessoas acha que se uma pessoa, que defende uma causa é, todas as outras que têm o mesmo conceito, também são, então pra quê ser uma pessoa chata e irritante que tenta enfiar à força seus conceitos na mente das pessoas?
Pessoas de direita, pessoas de esquerda, religiosos fervorosos, feministas seccionais, torcedores fanáticos, moralistas, naturalistas, entre muitos outros, quando leio sobre os conceitos de cada causa, sempre vejo algo interessante em cada uma, mas quando me deparo com os fanáticos por qualquer delas que seja, tudo aquilo que é válido e interessante de repente se torna irritante junto com a pessoa. O que quero dizer é que essas pessoas não percebem que seu fanatismo faz justamente o contrário daquilo que deveria fazer, ao invés de atrair pessoas para a causa, às afasta.
Eu gostaria de saber o que passa na cabeça de cada uma dessas pessoas fanáticas, sinceramente. De onde será que saiu tanta paixão por algo? Ou será que sou eu que não me interesso, verdadeiramente, por nada?
Na verdade eu tenho minhas causas e meus interesses, e também os defendo sempre que preciso, mas só quando é preciso, só quando as ofensas e menosprezos àquilo que acredito me encontram, ou são direcionadas à mim, que eu discuto, mas sempre de maneira sadia, sem desmerecer a opinião de quem não acredita.
Fanáticos dirão: “Ah Gill Nascimento, mas com toda essa sua calma você nunca fará alguém acreditar nas mesmas coisas que você!”. Pode até ser que isso seja verdade, mas também não farei ninguém odiá-las.
Apesar de como comecei esse artigo, tenho que confessar que tenho amigos e amigas que se encaixam perfeitamente em tudo que citei até agora, e como vou compartilhar o link desse artigo por meio de tweet, pode ser que venham a ler tudo isso e se indentificarão na hora, até porque eu mesmo já disse à esses amigos que eles são chatos, que só sabem falar de um assunto e que são péssimas companhias quando começam a falar de tal, então comigo eles nunca nem tentam, mas são meus amigos e minha sinceridade é aceitas por eles, que não é o que acontece com fanáticos desconhecidos.
O que eu quero com esse texto? Nem eu mesmo sei. Talvez eu me torne um fanático defendendo a causa de que todos os fanáticos sejam chatos. Talvez eu entre nas Redes Sociais com intuito de causar discórdia brigando com quem tem pensamentos diferentes dos meus, e defenda minhas ideias de maneira ofensiva. Talvez eu me torne uma péssima companhia que sóbrio ou bêbado não consiga falar demais nada que não seja isso.
Não, só queria desabafar meu descontentamento mesmo.

Abraços!

Gill Nascimento

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

8 Comentários

  1. Toda essa exaltação egoísta das pessoas sobre seus ideais nos últimos anos vem até assustando. Complicado. Mais deles deveriam ler esse seu post ou não. Talvez reclamassem também. É, melhor não.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
    • kkkkkkk verdade, também tenho dúvidas se quero que eles leiam kkkkkkk

      Curtir

      Responder
      • Fala ai Gill!
        Acredito eu que o conviver é difícil mesmo, e já vi muita gente chegar e dizer em blogs ou comunidades que respeito é bom e todo mundo gosta. Bem mais ai eu pergunto, se não podemos expressar ideias ou posicionamento então para que servem as comunidades sociais, principalmente as de debate?
        O problema é que muitos não estão maduros para debates e levam muitas vezes para o pessoal causando os atritos.
        Li um texto uma vez com o título, “Reductio ad absurdum” onde descrevia situações desconfortáveis, mas também já vi em comunidades de debates muita discussão de ego, pessoas que se intitulam serem formadas em algo e não aceitam a contestação exatamente por acharem que são os…
        Eu adoro um bom debate, mas um que traga luz a nossa ignorância do conhecer, sem tabus, sem preconceitos, sem posições religiosas para não torna-se algo inócuo.
        Aprendi com um grande mestre que muitos tem algo a dizer e muitos tem a necessidade de dizer algo. O melhor mesmo nisso tudo é que mesmo nos desconfortos, quem é experto aprende.
        Eu em particular, em muitas vezes que comentei algo ou fui direto em uma solução, visão, ou usei de brincadeira para quebrar um pouco a seriedade do debate ou ainda usei de meu sarcasmo para desconstruir ou mesmo minar afirmações, pois acredito que nada deve ser encarado de forma igual para todos e sim cada qual naquele experimento retire dele sua visão.
        Abraços e bom texto argumentativo. 🙂

        Curtido por 1 pessoa

        Responder
        • Concordo com sua maneira de abordar, geralmente faço o mesmo, mas confesso que debates e discussões me estressam, porque sempre encontraremos pessoas que se acham donas da razão, esse tipo de gente até a voz me irrita. Sou o tipo de pessoa que adora as contradições, as exposições de opiniões e principalmente as críticas, são onde as melhores lições são encontradas, mas o fanatismo tira toda a graça dessa aula… Obrigado pela visita amigo!

          Curtido por 1 pessoa

          Responder
  2. Talvez se metade do meu Facebook lesse seu post, eles mudariam.
    Hoje em dia é tudo de bom poder expressar suas opiniões e vontades nas redes sociais, mas as vezes se torna algo tão banal e exagerado, que quando existe algo importante para contestar, os “reclamões” de plantão, somem.
    Acho válida qualquer opinião, afinal, estamos aqui para isso, certo? Mas tem gente que perde a linha (e o bom senso) e isso que torna a coisa complicada e chata.
    Bom texto, de verdade! 😉
    Um beijo, Lê.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. O fanatismo muitas vezes é pra “preencher” um vazio que a pessoa tem. Vazio esse que só pode ser preenchido por ela mesma, mas ela não se dá conta. Tudo o que precisamos está em nosso interior, mas as pessoas insistem em procurar a “felicidade” fora delas. Adorei seu texto!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: