Será que dá para piorar? – A Saga de Euzébio

Vocês se lembram do Euzébio? Pois bem, ele voltou hoje. Depois de um tempo ele conseguiu se livrar do sessentão sarado e retornar as boas com a sociedade, até se casou novamente, e arrumou um novo emprego muito bom, mas nem por isso deixou de ser um cara azarado, pois há certas coisas que não mudam nunca. A partir de agora vocês vão ler um texto que conta a continuação da história do nosso amigo Euzébio, o culpado de nascimento mais azarado do mundo…

SERÁ QUE DÁ PARA PIORAR…

O dia não poderia começar pior, uma bela dor de cabeça!

“Vamos retornar um dia, onde tudo começou, para que todos possam entender o porquê dessa maldita dor de cabeça”

Ao chegar do trabalho, no hotel onde estava hospedado por ter brigado com sua esposa, – Euzébio não sabia porque, mas tinha a ligeira impressão de que sua esposa teve a intenção de causar aquela briga – ele se prepara para tomar um banho, antes nota que havia esquecido de trazer as famosas cuecas de emergência, ele toma o banho e vai rapidamente em sua casa buscar as cuecas, antes não tivesse ido, pois encontrou sua mulher na cama com o gerente de seu banco. Como todo corno espectador, não falou nada, não fez nada, nem deixou sua presença ser notada, apenas saiu e foi tomar um porre daqueles no bar, e chorar as mágoas para o primeiro bêbado que aparecesse.

Agora sim…

O dia não poderia começar pior, uma puta dor de cabeça, por causa de um par de chifres, com direito a exibição ao vivo digna de um Óscar Pornô, e também por causa da ressaca do pós chifre, além da dor de cabeça, estava atrasado para o trabalho, nem lembrava quem havia lhe trazido para o hotel.
Euzébio chega ao trabalho 1 hora atrasado, ao entrar na recepção é lembrado pela recepcionista de uma reunião que deveria estar participando há meia hora, uma reunião muito importante, mas já era tarde, foi demitido.
A partir daí começa usar da fé para tentar se restabelecer, pois tinha muitas dívidas para pagar, e no momento estava morando num hotel, por sorte tinha algumas economias no banco e ganhou um bom dinheiro dos direitos do último trabalho, dava para se manter por algum tempo, pelo menos essa esposa não lhe arrancou uma pensão como a primeira.
Após um mês procurando trabalho, sem sucesso, pois nem todos dão emprego para ex-presidiário, se vê obrigado a usar contra sua vontade, mas por necessidade, suas economias, e vai ao banco.
Posso dizer que foi aquele pé que faltava para derrubar Euzébio.
No banco descobre que alguém tinha limpado sua poupança e lembra: “aquela vadia e aquele desgraçado do gerente me passaram a perna”…

“Simplesmente eu poderia pedir para vocês, que estão lendo esse texto, fazer uma corrente positiva pra tentar tirar toda essa zica do Euzébio, zica essa que já vem de longe, mas não adianta, pau que nasce torto não tem jeito, vai sempre mijar fora do pinico. Vamos lá Euzébio! O que tinha de pior para acontecer já aconteceu, agora só falta você  estufar o peito e gritar pro mundo: FERROU!”

… Euzébio já sem saber o que fazer, começa usar o pouco tempo que tem para ficar no quarto do hotel para pensar, pensar em uma maneira de escapar do pior: virar um sem-teto.
Pensa daqui, pensa dali, e nada de achar uma saída. Euzébio já havia sofrido muito na vida, mas mesmo assim não sabia se virar com facilidade, não se achava capaz nem de sair por aí catando latinha e papelão, fez faculdade do crime quando esteve na cadeia, mas nem cogitava a idéia de roubar, pois preferia morar embaixo da ponte do que voltar para a prisão.
O tempo estava se encurtando, o quarto em alguns dias seria pedido pela gerência, tinha que rapidamente arrumar uma maneira de se ajeitar. Foi então que lembrou de um nome: Julio.
Euzébio pegou o telefone, cruzou os dedos, pensou positivo: “O Julião não vai me deixar na mão”. E realmente não deixou, Euzébio encontrou aos 45 do segundo tempo uma luz no fim do túnel, e correu ao seu encontro…

“Ei! Nem vão pensando que a sua torcida, leitor, ajudou o Euzébio, pois essa luz no fim do túnel não brilhava tanto assim!”

… Com um teto sem ter que pagar nada, comida e tempo para procurar se ajeitar, sem que ninguém lhe cobrasse, Euzébio vê sua sorte em partes virar!
Julião! Ah Julião! Nada como uma reconciliação com o sarado sessentão tarado, para melhorar a situação, é como diz aquele ditado:
“Se você sentir duas bolinhas encostando na sua bunda, não se preocupe, o pior já passou”

Gill Nascimento

(Não se esqueça, se gostou, não perca amanhã a terceira e última parte dessa história, venha descobrir que fim levará o cara mais azarado do mundo)

Anúncios
Deixe um comentário

3 Comentários

  1. Se ele morrer e nascer de novo acaba a zica?

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  2. Amei o conteúdo do blog enfim maravilhoso.♥

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. sempre dá para piorar mano… obg por curtir nosso blogue confraria do ferro de soldar, tenho mais 3 sobre rádio http://swlpy10130.wordpress.com
    http://oradiooperador.wordpress.com/
    https://beacon144295.wordpress.com/ apareça.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: