Homens x Relacionamentos

Estava conversando um dia desses com meu amigo Abiezer Lopes, apresentador do Canal Entre a Gente e autor do texto Fugindo à Regra, postado há pouco tempo aqui no Blog, e a acabamos entrando num assunto bem interessante, sobre o que alguns homens jovens adultos pensam sobre um relacionamento sério, e o que acaba acontecendo quando se deparam com o sentimento de querer muito alguém, mais do que o normal ato de ficar uma noite apenas e nada mais.
Vou falar nesse caso como foi comigo, sem generalizar, mas já generalizando, se é que me entendem, porque o fato é que muitos não são capazes de assumir seus sentimentos e o que pensam sobre esse assunto, mas acho que já passei dessa fase. É duro assumir, mas aos 30 anos já passei da fase “rapaz”, e entrei na fase “tiozinho”.
Eu quando tinha meus 20 anos tinha muitos planos e metas, muitos desejos e anseios, muito sonhos e algumas fantasias, mas dificilmente incluía mais alguém comigo, me ajudando a alcançar tantos objetivos, na verdade tinha várias objeções a tais pensamentos. Eu me imaginava um solteiro inveterado até meus 40 anos, curtindo a vida adoidado, sem medo de ser feliz. Mas assim como eu disse ao Abiezer Lopes, repito aqui, nessa época a gente pensa que nunca vai gostar de alguém ao ponto de pensar em relacionamento sério, vamos dizendo isso pra nós mesmos, até o dia em que nos deparamos com a situação de  estarmos num domingo a tarde em casa, numa reunião de família, conversando sobre demasiados assuntos enquanto uma moça está na cozinha ajudando sua mãe a lavar a louça, e chamando ela de sogrinha.
Sim, isso aconteceu comigo, nessa ocasião comecei a me questionar onde estava o cara bacana e baladeiro que há pouco tempo atrás não se imaginava andando de mãos dadas, e que queria ser o único homem num planeta cheio de mulheres. O cara ainda existia, mas ele queria muito uma mulher, ao menos mais que as outras, na época.
Vejo em Redes Sociais as piadas que os adolescentes fazem sobre seus amigos que começam a namorar, e percebo o quanto condiz com a realidade.
Um homem quando começa a namorar não consegue imaginar que as coisas poderiam mudar tão drasticamente. Sabe aquele dinheiro gasto em bebidas com os amigos? Pois é, grande parte passa a ser gasto com a namorada, e se isso não é motivo pra chatear os amigos, não sei o que é.
Eu costumo dizer que as mulheres chegam ao mundo bem mais preparadas que nós homens, em vários sentidos, elas conseguem lidar muito mais facilmente com as mudanças do que nós homens, seja a mudança de qual tipo for. Um ótimo exemplo é o fato de que demoramos para nos acostumar psicologicamente com o fato de ter uma mulher só nossa, e ver as outras sem pensar “olha o que eu posso estar perdendo”.
Me lembro da primeira vez que passei a noite com uma namorada, de como foi difícil resistir ao impulso de levantar, vestir a roupa e ir embora tomar uma com os amigos. As mulheres dizem que a primeira vez é inesquecível, meu pai me ensinou que pro homem, a primeira conchinha é inesquecível, e não é que ele tinha razão.
Todo homem tem sua época em que na sua mente ele é um Bad Boy, que se os pais soubessem do que se passa na cabeça dele sobre suas filhas, que essa mesma cabeça seria posta à prêmio. Como se preparar psicologicamente para deixar de ser esse cara, e se tornar o homem que vai falar pra um pai ciumento que suas intenções são as melhores com a filha dele? Eu só posso dizer que é difícil, e muito. Uma mulher não sabe como a presença dela nessa hora, olhando com ar de reprovação para o pai e dizendo pra ele pegar leve, faz diferença. Faz, e muita.
São três momentos difíceis para um homem, ser apresentado ao sogro, apresentar a namorada para a família, e apresentá-la para seus amigos.
Quando você apresenta sua namorada para a família, você não está preparado mentalmente para ouvir suas tias dizendo em alto e bom som, na frente inclusive da sua namorada, que ela é linda, pra você segurar essa mulher, que ela parece ser uma boa moça pra casar. Quando uma mulher apresenta o namorado, geralmente é algo reservado só entre a família, mas quando um homem fala para a mãe que vai trazer a namorada pra ela conhecer, ela marca um dia, faz um banquete, e chama todas as suas irmãs pra mostrar que seu filho está tomando um rumo na vida.
Pior que isso é a hora de apresentar aos amigos. Nessa ocasião a namorada vai beber como eles, se divertir como eles, vai tirar onda com a cara do namorado junto com eles, ao ponto de eles acharem ela muito mais legal que ele próprio. Mas ao virar as costas ela vai esquecer de tudo isso, e na primeira ocasião que você disser que vai sair com eles, ela vai ficar com um pé atrás e achar que vai ter mulher no meio. Isso se ela não quiser ir junto.
Agora de tudo num primeiro relacionamento sério, o pior é o término. Ao terminar o cara acha que vai comemorar a liberdade tão sonhada, voltar a se divertir com os amigos, sair e pegar o máximo de mulheres que conseguir. Mas a verdade é que assim como pássaros em gaiolas esquecem de como é viver a liberdade, nós homens também desaprendemos, começa pelo fato de não querer sair e correr o risco de as pessoas olharem pra ele e pensarem “olha lá o idiota que tomou um pé na bunda”. Os amigos? Os amigos se iludiram com o fato da namorada dele ser mais legal que ele, e resolveram entrar na brincadeira também, arrumando suas próprias namoradas. E acaba tomando umas sozinho mesmo, se não em casa sozinho, num bar com o primeiro outro largado bêbado que encontrar.
É uma fase difícil demais para um homem, mas todos precisam passar por isso, e descobrir que vale a pena, porque por mais que seja legal ter várias mulheres pra te dar prazer, nem se compara a ter apenas uma que te faça feliz.

Anúncios
Deixe um comentário

12 Comentários

  1. E o quê é isso se não amar? Certo estava Kundera quando disse, “O amor não se manifesta pelo desejo de fazer amor (esse desejo se aplica a uma série inumerável de mulheres), mas pelo desejo do sono compartilhado (este desejo diz respeito a uma só mulher).” ; )

    Curtido por 4 pessoas

    Responder
  2. Gostei muito de saber um pouco sobre o que passa no coração dos homens. Fez com que eu entendesse um pouco mais o meu relacionamento. Obrigada 🙂 Adorei o post!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
    • Eu que agradeço, Mel 😀
      Vai ver muito isso por aqui, não regulo informações sobre nosso universo masculino kkkkkkkkkk

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
      • UASHASUHASUASH, que ótimo! Mas sério, muito bom o seu post e seu blog. No passado, meu blog também era sobre coisas que eu escrevia. Pena que, nunca ninguém visitava. Por isso, hoje em dia, faço questão de apoiar a todo o tipo de conteúdo que me agrade (não somente cosméticos e tal). Por isso, continue assim e você vai longe! Beijo

        Curtir

        Responder
  3. Amei Gil, Arrasando como sempre.
    Na minha casa minha mãe também faz um banquete , e chama a família toda.
    Mais é legal saber que tudo tem dois lados em um relacionamento , e saber como a maioria de vocês lidam com essa questão !

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  4. Reclama não! Bora tomar umas e começar tudo de novo!kkk

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  5. Tive que compartilhar! e essa frase :
    “Por mais que seja legal ter várias mulheres pra te dar prazer, nem se compara a ter apenas uma que te faça feliz.”
    A Fabulonica tem orgulho de ser sua parceira kkkkkk. Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: