Superstições…

image

E aí pessoal, tudo bem com vocês?
Bem, ontem um amigo e eu fomos visitar uma tia dele numa cidadezinha do interior de Goiás. Ela mora numa daquelas casinhas super simpáticas de interior, grande, confortável, e ainda assim simples, com um quintal enorme nos fundos e uma porta na frente que dá direto para a rua.
Estávamos conversando na varanda nos fundos da casa quando decidimos ir embora, eu ia saindo pelo corredor lateral que também dava acesso a rua na frente da casa, mas meu amigo me fez voltar e sair pela mesma porta que entrei, porque segundo ele, dá azar sair por uma porta diferente da que se entrou.
Na hora pensei no quão besta era a superstição, mas fiquei quieto e voltei para sair pela mesma porta em que entrei. Então resolvi falar disso aqui, afinal, tive uma avó muito supersticiosa. A maioria das superstições dela vocês devem conhecer, mas algumas eu posso apostar que não, porque nunca ouvi ninguém, além dela, mencionar tais superstições.
Lembro uma vez, quando minha família ia se mudar, e ela estava ajudando a ajeitar as coisas, quando minha mãe deixou as vassouras em um canto pra depois levar embora pra casa nova, ao que ela disse:
“- Minha filha, deixa essas vassouras aí, dá azar levar vassoura velha pra uma casa nova!”
Queria saber quem foi que criou essa superstição, e qual o motivo de tal crença.
Outra vez eu sai da escola e fui direto pra casa dela, e quando cheguei e tirei os sapatos para entrar e um ficou virado pra baixo, ela disse:
“- Desvira esse sapato, quer matar sua mãe?”
Essa superstição sei que vocês conhecem, mas agora sabem me responder porque ao invés de matar a mãe, deixar o sapato ou chinelo virado, não mata a sogra? Quando era criança, ficava imaginando que quando não estavam nos nossos pés, os calçados eram seriais killers, tipo agentes secretos assassinos, da CIA.
Minha fruta predileta, depois da mexerica, é a manga, e lembro que ela sempre dizia que a pessoa morre se  chupar manga e depois tomar leite, e que eu sempre perguntava:
“- Então quer dizer que não existe vitamina de manga?”
Lembro que quando ela estava limpando a casa, eu tinha que manter distância, ela dizia que não queria, por acidente, varrer meus pés, pois se isso acontecesse, eu nunca me casaria. Tem horas que eu daria tudo pra voltar no passado e testar se essa superstição é verdadeira.
Outra vez ela nos acompanhou numa viagem à casa da minha avó materna, no interior de Minas Gerais. Teve um dia em que uma ave voou para dentro da casa da minha avó materna, ao passo que ela disse, na hora, que era um sinal de morte, eu estava voltando do mato onde estive caçando passarinho com um estilingue. Atirei na ave e disse:
“- É, não é que dessa vez à senhora acertou!”
Tem uma superstição que ela tinha mania de dizer, que eu já testei algumas vezes, e nunca funcionou. Ela dizia que, colocar a vassoura de cabeça pra baixo atrás da porta, espanta as visitas chatas.
Em outra ela tinha mania de colocar nozes na janela para afastar os trovões, quando o céu escurecia, mas a única coisa que ela conseguia era me atrair, até hoje amo nozes.
Uma outra vez, voltando de um velório, ela criticava a viúva, ela dizia que as janelas deviam ser abertas quando alguém morre para não aprisionar a alma, mas a viúva não tinha feito isso. E eu pensando que abrir as janelas não aprisionava a alma, e nem o assassino, se ele ainda estivesse escondido na casa.
Minha vó tinha cada uma, e sempre que ela soltava uma nova eu acabava levando um tapa, porque sempre fazia uma piadinha.
De todas, a que eu mais gostava, era sem dúvida a que ela dizia que sempre se deve dar uma moeda à um amigo se ele te der uma faca, se não a amizade acaba. Eu adorava tirar moeda dos meus amigos.
Sinto saudade demais da minha vózinha e das superstições loucas dela, eu ria muito com isso. E você, conhece alguma superstição maluca? Então conta aí pra gente vai!
Por hoje é só, galera. Fiquem na paz, e lhes desejo uma semana maravilhosa!

Abraço!

Gill Nascimento

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

15 Comentários

  1. A do sapato eu conheço com chinelo. Manga com leite essa eu também conheço. A da vassoura velha é nova pra mim. Uma espécie de coruja que aqui onde eu moro chamamos de “rasga mortalha” se ela aparecer na tua janela, tchau e bença pra alguém da sua família. A da vassoura atrás da porta eu já testei e não funcionou. Essa do afasta trovão eu não tenho como testar. Essa de varrer os pés acho que não adianta mais pra você. rsrs Essa do velorio eu não conhecia mas acho que deve ser por isso que as casas ficam com as portas abertas. Isso me lembra uma vez que eu estava na casa da minha vó e tinha dois carros na porta. O do meu irmão e de um tio meu. Quem passava na rua perguntava quem tinha morrido. Coisa de cidade pequena. rsrs

    Curtido por 4 pessoas

    Responder
  2. Ai quantas superstições não e mesmo ?
    Muitas vezes são coisas tão bobas que a gente fica inculcado só porque a vó falava ou a tia kkkkkkkk
    E uma pior que a outra.

    https://keetsantoos.wordpress.com/

    Curtido por 2 pessoas

    Responder
  3. Hhahahahhahahaha não é só sua vózinha nao!
    Essa da vassoura no pé e não casar é ótima, hauaha se fosse verdade.. :”)

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  4. Uma vez eu misturei a tal da manga com leite e eu achei que a minha avó iria me bater de tão brava que ela ficou hahah
    A das nozes e a da moeda eu ainda não conhecia, não. Mas eu acho que toda avó tem essa coisa de superstições, né? Haha
    Beijinhos

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  5. Deise

     /  10 de agosto de 2015

    Certeza q a vassoura velha q não pode ir pra casa nova foi criada por algum dono de fábrica de vassouras. Hoje em dia não temos problemas em sair pela mesma porta q entramos já q a amioria dos apartamentos só tem uma porta rsrsr

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  6. rsrs eu sou contra essas piras, eu hem.
    gostei do texto, bem divertido.

    abraço.s
    D.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  7. Hahaha, essas supertições de vó eu me lembro muito bem. Segundo a minha avó, se uma borboleta preta entrasse dentro de casa era sinal de morte, que ela estava trazendo morte. Sem contar que em noite de quaresma nós não podiamos sair senão viamos fantasma. E quando o sal caia no chão ela jogava um pouquinho no fogo porque, segundo ela, era pra não dar briga em casa kkkkkkk. E quando a faca caia no chão tinha que dar três riscos no chão que era pra não dar briga também. Ai ai, que saudades da minha velhinha. Adorei o post, muito obrigada por me permitir reviver o passado.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  8. Conheço todas as que vc contou… aqui no Rio Grande do Sul tem muito dessas coisas kkkkkk Minha mãe me contou uma esse fim de semana: que se o galo cantar a meia noite, uma filha vai fugir. Ela jura que aconteceu com uma das irmãs dela! Meu pai sempre conta que minha avó nunca surrava ou dava castigo neles depois das 18 horas… eles aprontavam todas depois dessa hora kkkkk Também não podia varrer a casa depois das 18 horas. Sempre fiquei curiosa com relação a isso: por que exatamente as 18 horas… mas nunca souberam me explicar! 🙂

    Curtir

    Responder
  9. Opa! Conheço várias dessas aí!kkk

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: