Vida Social de Um Escritor

image

Torna-se clichê ler coisas como: “ela se foi”, “nós erramos”, “nunca existimos”, “o tempo cura”, entre outros. Todo texto que se encontra por aí possui coisas desse tipo. Inclusive os meus. Parece até música sertaneja.
Mas o engraçado de tudo isso, é que sempre vai ser assim. A menos que o escritor seja comediante, ele só tem inspiração em momentos de tristeza. Este por exemplo pode ser um dos meus. Momentos.
Amores vem e vão. Ainda assim, esses momentos existem em todos eles. Não importa quantas vezes já quebramos a cara. A Dor sempre vai existir. A intensidade pode até mudar. Mas a Dor, ah, essa te acompanha mais do que quem você imaginou que não te abandonaria. Existem dias em que ela some. Normalmente numa bebedeira, ou numa reunião com 2 ou 3 amigos. Ela é egoísta. Não gosta de dividir espaço com outros sentimentos. Contudo, é dedicada e compreensiva. Quando você volta pra casa, lá está ela. Deitada na sua cama. Esperando pra lhe abraçar.
Daí chega um dia em que nos tornamos adúlteros, e decidimos traí-la. A trocamos pelo Prazer. Mas aquilo não vai acontecer sempre, não é mesmo? É. Porquê o Prazer é um vadio que quando vai embora não deixa nada. Fica um vazio. E você se perguntando: e a Dor? Não voltou ainda. Está chateada e acreditando ter sido substituída pela Satisfação.
Todavia, precisamos de companhia, e continuamos procurando. Como a Dor não tem auto-estima, e nós não temos requisitos para sermos monogâmicos, ficamos num triângulo amoroso com a Dor e o Prazer. Não esquecendo da Ressaca, que é aquela que você tem um affair, e rola alguma coisinha vez ou outra. Sem nada fixo, obviamente.
E, como a vida é uma bendita estação de trem dos sentimentos, certo dia desce de um vagão o Amor. Um filho da puta, psicopata, narcisista, dentre outros, mesmo assim, lindo. E você decide que vai jogar tudo pro alto e ficar com ele. (OLHA A CAGADA).
No começo é tudo perfeito, afinal ele é um psicopata. Ele sabe o que está fazendo. Depois é que começa a ficar complicado. Quando você conhece os amigos.
Pois é, ele esquece de te contar que está sempre andando com o Ciumes, jogando bola com a Ansiedade, entre outros. Aí a merda já tá feita.
Você papeia com a Indecisão, até dar por si que ele não é pra você. E termina o relacionamento.
A primeira coisa que você faz é ligar pra Liberdade e chamar pra balada. Mas é só passar uns dias que você se vê num bar na companhia do Arrependimento.
Aí querido, sabe quem que resolve aparecer, do nada? A dor, como se nada tivesse acontecido. Vá ser mulher de malandro assim lá na casa do caralho.
E ela te dá aquele abraço apertado e te leva pra cama. É ai que você se dá conta que só lhe restam algumas coisas a fazer. Ou chora, ou dorme, ou escreve. E, quando já fez o primeiro, e o segundo é impossível, você senta e cria mais um “Momento” que fará parte de um rol de clichês à espera de alguém que se identifique.

_

Abiezer Lopes

Anúncios
Post anterior
Post seguinte
Deixe um comentário

15 Comentários

  1. Já sabia que o texto não era do Gill desde o começo😄
    Os clichês de escritor são assim mesmo… tipo autoajuda kkkkk aquela coisa de sempre.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  2. Eu não serei mentirosa a ponto de dizer que não gosto de clichês hahahha
    Mas a verdade é essa: quando estou brava, inconformada, quando não aceito tal fato/ato: eu escrevo! 😀 geralmente, sai algo +/- hahahha
    Beijo!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. Porra, incrível. Simplesmente genial, Abiezer!
    Super me identifiquei (aquelas bem, né HAUAHUH)
    É.. temos alguém aí apaixonado, senhoras e senhores! hahahah!
    Um abraço e deixo um pouco da minha amiga compreensão aqui. Se cuida! :))

    Curtido por 2 pessoas

    Responder
  4. Gente! Que lindo isso… É isso… No fundo, todos somos esse poço de histórias compartilhadas. Eis a razão e o sentido dos clichês.

    Fiquei encantada com as figuras de linguagem. Um texto belíssimo.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  5. CARALHO. É o que tenho a dizer. Adorei.

    Curtir

    Responder
  6. Ótimo e verdadeiro texto !

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  7. Muito bom!! Escrever liberta

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: