Vem com tudo 2016!

image

Mais um ano se acabou, enfim 2016 chegou, e a pergunta que fica é: E daí?
O que me importa se mais um ano chegou, se todas as expectativas que ele trás, e tudo aquilo que eu espero dele, só acontecerá se eu suar minha camisa, e correr atrás?
Todos os anos são iguais, a única diferença entre eles são os números que os representam, e o número de trabalho que teremos para que um seja melhor que o anterior.
Um amigo me perguntou quais as metas que eu tinha para esse novo ano, e eu respondi com apenas uma palavra: SOBREVIVER.
Eu até esperaria algo mais desse novo ano. Mas de um jeito ou de outro terei que trabalhar, talvez ainda mais, ainda terei contas para pagar, talvez ainda mais, ainda terei do que reclamar, e pelo andar da carruagem, com certeza mais. Então para quê falsas expectativas, não é mesmo?
Novos anos trazem muitas vontades de mudar, de progredir, de melhorar, de evoluir, mas as atitudes a gente continua precisando buscar dentro de nós. E isso as vezes dá uma baita de uma preguiça.
Aí tem gente que fala que sou muito pessimista. Mas eu nunca neguei isso, eu sou mesmo, mas esse é um caso de realismo mesmo. A realidade anda tão dura que, o realismo tem sido confundido e, às vezes, substituído pelo pessimismo. E um faz muito bem o papel do outro, sem que diferenças sejam notadas.
Mas como todo humano normal, dentro de sua média de loucura aceitável, também tenho minhas expectativas e metas para esse novo ano. Só abaixei um pouco o padrão, comparado aos começos de ano anteriores.
Lembro que para 2015 eu esperava uma promoção no trabalho, e ela até veio, mas para esse ano se eu conseguir manter meu emprego já está de bom tamanho.
Também esperava que no ano passado eu tivesse muita paz, felicidade e amor. Nesse ano se não me encherem o saco, não me deixarem triste e tiver sempre uma garrafa de bebida ao alcance das mãos, vou ficar numa boa.
E pra 2014, eu queria muito comemorar um título mundial com a seleção brasileira, e em casa ainda. Agora? Bem, agora só espero que a vergonha nas Olimpíadas, não seja tão grande quanto a daquele ano na Copa. Acho que vou fingir que também sou turista, quando os jogos começarem.
Já teve ano em que tive a meta de comprar um carro novo e reformar o apartamento. Nesse se eu conseguir pagar o IPVA, comprar gasolina, e pagar as contas de casa, já vou conseguir ficar feliz.
Não sei se é a idade que aumenta e com isso os padrões abaixam, ou se na verdade é só comigo, mas que essa realidade pessimista está complicada, isso está.
Além daquilo que desejamos para nós num novo ano, tem aquilo que sempre esperamos que aconteça coletivamente  também, como a melhora do país num todo e para todos.
Se o país melhorar, ótimo, possivelmente meus padrões aumentarão antes que o ano termine. Caso o país continue essa merda, continuarei tendo em quem colocar a culpa das minhas desventuras.
Só espero que o pessoal de Brasília não se irrite muito com isso!
Vem com tudo 2016, eu estou preparado!

_

Gill Nascimento

Anúncios
Deixe um comentário

20 Comentários

  1. Concordo aprimoradamente! Chega o ano novo e de uma persistência temos uma inúmera fusão que nos transfere em mudar tudo (ou só mudar) aquilo que no ano anterior refletiu-se com um ângulo inativo, em outras palavras, uma merda! Sei que expectativas não ajudam sobre o modo que realizamos as voltas e derrotas, mas aprendendo com elas, formei minha explicita opinião para 2016: faça intercorrer, mesmo que extravagante ou reprimido mas execute em paz. Não creio nas possibilidades de nosso país, confesso estar sendo um pouco interrogativa em porque me tornei brasileira. Sobretudo, não admitirei regressar outro ano, com os braços emburrados; quero fazer alguma diferença, que pelo menos aqueça apenas meu requisito no conhecimento, o resto as opções vão se anulando, sucedendo, melhorando e afim de alguma aversão, uma alternativa para mudar cada minuto mal interpretado; uma orquestra de movimentos realmente bem vividos. ∴

    Curtido por 4 pessoas

    Responder
  2. Você falando aqui dos padrões e eu falando de lá da criatividade para reverter os cenários. Ainda que minimamente.

    Entendo seu ponto de vista e tenho percebido nas análises de mercado – sobre publicidade no que tange o comportamento de compra e consumo -, tudo tem mudado. Grupos e subgrupos, nichos, etc. Apenas as empresas estão na luta sobre como acompanhar esse processo.

    Eu estou desempregado, mas me encontro em um momento de produção intelectual, estive em boas empresas só que limitado e preso, sem sentir a necessidade de deitar na cama exausto pois o dia me sugou a ponto de tomar um banho, ouvir música para relaxar e dormir.

    Hoje o blog ocupa essa função. De certa forma, ainda que com recursos limitados, me sinto realizado. Tenho escrito todos os dias e aprendo muito, talvez por isso eu olhe 2016 mais positivamente, não pelo lado econômico ou político, mas pela ótica de que temos razões para acreditar que nos podemos ser a mudança que esperamos do mundo. Isso vem de uma pequena frase de Mahatma Gandhi, um mestre ao meu ver.

    Que realmente 2016 venha com tudo e nós possamos crescer, além de ter fôlego para encarar os desafios que estão por vir.

    🙂

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. Ah eu poderia só passar por aqui e curtir,mas vou dizer:haja o que houver continue esperando sempre mais e melhor Gil.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  4. Concordo com você Gill!
    Na verdade acaba um dia e começa outro, a diferença é que no calendário em um dia é 2015 e no outro 2016.
    Só que esse foi o primeiro ano que senti uma expectativa diferente. Devido a alguns acontecimentos que me fizeram mudar radicalmente o cenário, para mim o ano parece realmente Novo. Então, posso sentir a vibração e a energia que as pessoas tanto falam.
    Espero que realmente seja um ano em que a gente possa, no mínimo, sobreviver.

    Curtido por 3 pessoas

    Responder
  5. Verdade, é só mais um dia, mas criamos expectativas de dias melhores, de mudanças, e ainda bem, pois com a esperança lutamos e renovamos nossas forças para lutar. Que venha muitos dias felizes para todos nós!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  6. Que a sobrevivência seja mais que isso e possamos brincar de vez em quando. Adorei o texto!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  7. Falou tudo!! E a melhor parte foi a do “SOBREVIVER” hahaha, adorei!
    Realmente mais um ano chega e a única que coisa que realmente muda é que do 365 passa a ser 1 e sempre digo que se queremos mudança, só depende de nós mesmo hehe.
    Ótimo texto Gill!! :))

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  8. Que legal muita verdade no seu texto..Essa deveria ser a meta de todos neh, nos tempos que andamos..Te desejo tudo de bom nesse 2016 e que você sobreviva a esse mundo loco..Bjuss

    http://www.petitluxo.com

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  9. Com certeza! O ano não traz nada de novo, quem traz algo de novo somos nós mesmos -o que deixa as coisas mais complicadas rsrs

    Beijos e até mais,
    Jayane Fereguetti
    http://www.ulalahmundo.com

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: