Tentando me recuperar…

image

Desde já afirmo que estarei a total disposição do júri composto de leitoras, que me absolverá ou me condenará, talvez antes mesmo do término desse texto, e minha declaração de abertura para esse júri, será a mesma que a de encerramento:
“Senhoras e Senhoritas, e até jovens meninas, nós homens amamos vocês, mas tem vezes que haja saco, viu?”
Bem, não lembro se já comentei aqui, mas imagino que sim, já que escrevi alguns textos satirizando a TPM, na minha família nós homens somos uma esmagada minoria, para cada dez novos membros que nascem, oito são mulheres, então pode ser que eu seja traumatizado, e espero que isso influencie o júri ao meu favor. Por outro lado isso pode significar que eu realmente sei o que estou prestes a falar, o que também deveria me ajudar, mas sinceramente não sei se tenho esperanças num veredito favorável.
Mas vamos direto ao assunto.
Como sabem, estive doente por um tempo, e isso durante uns bons 30 a 40 dias fez com que minha humilde residência se tornasse passarela para o desfile de muitas das mulheres da família, de todas as idades, credos, etnias e opções sexuais. Me curei fisicamente, mas minha sanidade quase foi por água a baixo.
Meus dias se resumiam, às vezes, a minha debilitada versão fingindo estar dormindo no quarto, enquanto uma mulher da família cozinhava, ao mesmo tempo que fofocava com outra que sempre estava ali só pra fofocar. Algumas vezes entre o processo da primeira panela ir ao fogo e a comida estar pronta, sempre chegavam mais uma ou duas, para o meu desespero.
Era engraçado, como elas começavam cochichando, e em menos de 5 minutos já estavam tão alteradas, cada uma defendendo seu ponto de vista sobre a fofoca em questão, que quem passava na rua devia ficar pensando se chamava ou não a polícia, porque parecia que acontecia o início de uma guerra que seria muito sangrenta. E então (sempre) depois de mais ou menos umas duas horas de discussões, e a comida já fria, uma delas se lembrava que o convalescente dono da casa estava no quarto dormindo (quem dera), então lembrava as outras e pedia para que elas abaixassem o volume.
Nesse ponto eu já estava procurando no banheiro do quarto algo com que eu pudesse vir a cortar os meus pulsos.
Acho engraçado como essas situações começavam tão típicas, uma delas praticamente sussurrando, e as primeiras palavras eram sempre as mesmas:
“Meniiiiina, você ficou sabendo?”
O pior não eram as fofocas, o pior era quando elas resolviam falar de assuntos pessoais, aqueles que geralmente nós homens nunca ficamos sabendo ou somos os últimos a saberem.
Por exemplo, eu não queria saber que minha prima rebelde de 16 anos, tinha voltado pra igreja só porque acha o filho do pastor um gatinho. Ou que minha mãe estava quase arrumando um namoradinho. Ou que minha prima recém separada havia chifrado o ex marido, e que ele não é pai do segundo filho dela. Assim como não queria saber que minha tia está com uma infecção “nas partes” que está até fazendo ela andar meio torta.
Será que essa mulherada nunca ouviu dizer que as paredes têm ouvidos? Ao menos elas deveriam combinar de uma delas ficar sempre prestando atenção no volume das outras, porque isso de só notar que estão falando alto demais quando já estão acabando a discussão, ferrava com meu psicólogico.
Fui obrigado, numa ida ao hospital, a parar em uma obra e pedir um protetor auricular para o empreiteiro, mas não adiantou, parece que elas sabiam quando eu o usava e aumentavam ainda mais o volume, ás vezes, além do protetor, eu cobria a cabeça com o travesseiro, mas adiantava tão pouco quanto, as vozes sempre encontravam um jeito de me encontrar.
Mas também aprendi muito com elas (e não estou falando de sobre a vida dos outros). Aprendi simpatias para prender um homem, aprendi o preço de cada item existente nas prateleiras do hipermercado Extra próximo de casa, aprendi a tirar manchas de calcinhas e truques para elas não entrarem no meio da bunda, aprendi como a vizinha da minha mãe fazia para trair o marido todas as quartas e sábados, aprendi até como vocês fazem para nos convencer que realmente estão com dor de cabeca, quando tudo que a gente quer é um amorzinho safado antes de dormir (única coisa que realmente vi uma boa utilidade).
E foram mais de 30 dias assim, algumas vezes a mesma fofoca era o assunto da semana toda, pois as atualizações diárias eram muitas e elas não podiam simplesmente abandonar, chegou ao ponto de eu ouvir uma tia dizer:
“Meninas, tenho uma quentinha para contar pra vocês, mas deixa pra quando esse babado deixar de ser babado, ao menos já temos algo reservado.”
Então chegou o dia em que meu saco estava tão cheio que se minha casa não tivesse teto, eu virava o padre dos balões. Então botei essas mulheres para correr, dizendo que estava bem e que podia me cuidar, mesmo não sendo verdade.
O que houve?
O que houve foi que minha casa foi substituída por outra, e nesse novo “point” da fofoca, eu fui um dos assuntos, o primo/filho/sobrinho que nem estava tão mal assim, mas que agiu como se estivesse morrendo, só pra ter tudo nas mãos.
Nem me defendi, nós homens já temos a fama de nos tornarmos crianças quando ficamos doentes, preferi aceitar isso do que tentar me defender.
Bem, hoje graças ao bondoso Papai do Céu, eu estou melhor, e admiro mais do que nunca o silêncio de morar sozinho.
Confirmada a minha recuperação física, agora tenho que tomar coragem de ir num neuro e num psiquiatra, porque com certeza a mulherada da família abriram as portas da minha degradação mental.

_

Gill Nascimento

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

43 Comentários

  1. hahahahahahaha mas que exagero 😀
    Te declaro culpado! Sem veredito favorável… rum!
    Me diverti mto com o texto *-*

    Curtido por 3 pessoas

    Responder
    • É exagero não kkkkkkkkkkk as mulheres da minha família são terríveis mesmo, já me perguntaram no Whatsapp se realmente pedi um protetor auricular para um empreiteiro, e pior que pedi mesmo kkkkkkkkk e aceito a sentença kkkkkkkkkkk
      Tenha um lindo dia Isabella…
      Beijos 😘

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
  2. Gil…rsrs e isto tudo com apenas uma “costela”…imagine se fossem duas….rsrsrrrs Brincadeiras à parte envio a você meu fraterno Abraço.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
    • Sou tão azarado amigo, que devido a batida da cabeça no acidente, fiquei com um pequeno coágulo que me dava fortes dores de cabeça, tive que fazer uma pequena cirurgia pra retirar, minha clavícula não cicatrizou muito bem e ainda tive herpes óssea, e no tratamento descobri, depois de um choque anafilático que tenho uma forte alergia a Aciclovir, esse ano começou uma maravilha kkkkkkkkkkk Bom dia e um forte abraço pra ti 😀

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
      • Grande Gil, muitas vezes, algumas pedras no caminho, servem para que possamos mais adiante, abrir outras portas na caminhada. Não fosse o tratamento você não saberia da tal alergia. Ei sei que quando nos encontramos nos momentos de dificuldades, é mais complicado ser otimista. Porém o TEMPO é o mesmo no relógio, vale mais gastá-lo com otimismo…Receba também meu abraço, com sinceros desejos de que sua recuperação seja pronta e completa. Até!

        Curtido por 1 pessoa

        Responder
  3. Todo mundo gosta de tomar conta da vida alheia, as mulheres, em sua maioria, só são mais eficazes e sem vergonha na hora de fazer isso. Eu as admiro muito por isso, por abraçarem essa parte pobre dos nossos “instintos”.
    Adorei o texto e até entendo seu ponto, o bom é que você não guardou magoas, apenas traumas kkkkkkkkkk

    Curtido por 2 pessoas

    Responder
  4. ahahahaahahaahahahahah estava com saudades dos seus textos. Ok, eu seria uma péssima jurada, fiquei em cima do muro porque concordo em muitas partes. Quando comecei a ler, achei que falaria sobre mulheres na tpm . Mas foi muito mais que isso foi engraçado e real. Sabe que você até me inspirou a escrever um texto para defender a minha classe? ahahah Seria engraçado, já que você é um homem que foi criado entre muitas mulheres e eu uma mulher criada entre muitos homens. As perspectivas mudam um pouco. Adorei o texto, muito engraçado. Beijo ❤

    Curtido por 2 pessoas

    Responder
    • Se eu falar mais uma vez de TPM aqui, da próxima vez que parar com o Blog será por falecimento kkkkkkkkkkk
      Que bom que te inspirei Joy, pode me xingar nele se quiser kkkkkkkk

      Tenha uma linda noite!

      Beijos 😘

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
  5. Me encontro nesse exato momento rindo sozinha e pessoas me olhando como se eu fosse estranha .
    Você é simplesmente sensacional rs.
    Isso não acontece só na sua família querido rs, as vezes as mulheres da minha família sabem mais da minha vida do que hahaha.

    Um Beijo ❤ ❤ ❤

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  6. Que bom tê-lo de volta Gill *-*
    Nem vou comentar sobre seus dizeres, pois eles são sempre espetaculares! haha ^^
    Beijo e gostei da nova foto :*

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  7. Lila Amaral

     /  28 de junho de 2016

    Muito interessante e real Gil!
    Por ser uma mulher, com alma masculina, consigo enxergar claramente e sou obrigada a reconhecer que é um fato incontestável. Você não é o único. Desde que o mundo é mundo as mulheres falam demais 😂😂😂😂😂
    Por isso te absolvo e fico com dó antecipada de vc🤗
    Bjs e não se deixe sucumbir😉

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  8. Que bom que você voltou parceiro! 😉… Estava com saudades.
    Te declaro inocente!
    Se tem uma coisa pela qual eu sou alvo das fofocas na família rs é a frieza como elas dizem ( que significa falta de disponibilidade para fofocar). Me identifiquei muito com seu texto. Amo o silêncio, minhas músicas, séries, filmes, chocolates e claro livros… Nessa vida não tem espaço para a vida dos outros. E, infelizmente, vou concordar embora não seja via de regra, mulher adora falar da vida alheia.( por isso que eu ja lhe disse que me identifico com homens)
    Não some mais não💜

    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  9. Estava sentindo falta dos seus textos. Que bom que você está de volta e principalmente, bem de saúde.

    Curtir

    Responder
  10. Hum que bom ter o Gil bem humorado por aqui, quanto ao texto vou te falar a verdade, mulheres conversam, ou melhor, fofocam bastante sim, mas tem muitos homens por ai que gostam de uma boa fofoca…rsrs
    Beijos

    Curtido por 2 pessoas

    Responder
  11. Exageraaaaaaaaaaaaaaado
    Nós, mulheres, falamos mais mesmo, especialmente sobre os outros, mas Freud explica ahahahha

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  12. Mds, como só conheci esse blog agora? kkkkkkk
    No começo pensei em vim aqui te chamar de machista (não sou feminista). Mais depois eu ri demais kkkkkkk Não nasci mulher então. Pq eu nunca vou arrumar desculpa pra fugir de um amorzinho kkkkkkkkkk
    Mesmo sem nem saber o que te ocorreu, melhoras e fico feliz pela recuperação 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  13. KKkk Declaro inocente. Bom te ver aqui novamente, senti sua falta… Sobrevivendo no meio da mulherada fofocando… tem seu lado bom… Tinha que dar neste post mesmo rsrsrs… Melhoras!!!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  14. Nayara Rosolen

     /  29 de junho de 2016

    kkkkkkkkkkkkk Adorei!
    Que bom que está de volta, Gill, seus textos são sempre ótimos!!
    Beeeijos

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  15. kkkkkkkk Declaro inocente! Eu te entendo porque também não gosto de falação e muvuca…rs…

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  16. Mônica Torres

     /  30 de junho de 2016

    hauhauh aha ahha ahaha ah ha ah ha hhahh… tadinho…

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  17. kkkkkkkk imagina, somos tão quietinhas kkkkkkkk.
    Que bom que vc esta melhor e voltou com tudo com seus textos maravilhosos.
    bjoss;

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  18. KKKKKKKKKK te declaro inocente vai. Texto divertido.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: