Cancelando a volta…

Um dia desses, aqui mesmo no Blog, mencionei no texto Tomando uma bronca, o fato de ter morado em uma cidadezinha chamada Divisópolis, no norte de Minas Gerais, e o fato de que lá vivi ótimas histórias, e prometi contar algumas aqui. Bem, esse dia chegou.
O que não mencionei foi como acabei morando lá.
Em 2002, minha mãe, devido o fato de minha falecida avó estar doente, resolveu se mudar para lá, e ajudar meu avô e meus tios a cuidarem dela, e eu, com 18 anos na época, não fui, pois tinha acabado de prestar o vestibular, estava trabalhando, namorando, tinha uma vida em São Paulo que não dava pra abandonar. Foi uma guerra pra conseguir ficar, mas venci e ela se foi sem mim.
No ano seguinte, quando tirei férias, já dá faculdade e também do trabalho, resolvi passar 15 dias nessa bendita cidadezinha, rever minha família, e os parentes que não via havia um bom tempo.
Foi a minha perdição. Eu gostaria muito de vir aqui e dizer, como geralmente digo pro pessoal quando conto as histórias de lá, que me apaixonei pela cidade devido a natureza tão próxima, a pacatez do clima de interior, o acolhimento e coisas desse tipo, e apesar de ter me apaixonado por esses fatores, a verdade é que o que mais gostei naquela cidade, é que em dias de festa, ela era muito louca, muito louca mesmo.
Fui num final de ano, e isso foi o primeiro quesito que me conquistou, pois a cidade fazia divisa com a Bahia, aliás, a casa dos meus avós já ficava na Bahia, e a menos de 15 minutos da casa da minha mãe, em Minas, e como sabem, na Bahia não tem horário de verão, então na virada de ano, dava pra curtir a queima de fogos em MG, e depois ir para a cidade vizinha e curtir outra queima, já na Bahia, eu achava aquilo sensacional.
Eu elevei as piadinhas de tiozão de início de ano a outro nível.
Fora o fato que a cidade começou a festa de final de ano no dia 24 de Dezembro, pela manhã, e só terminou no dia primeiro de Janeiro a noite. Eu até então me achava baladeiro e festeiro, e me considerava muito resistente, mas no dia 28 eu já estava pedindo arrego.
E com essa primeira festa local, descobri outro encantamento daquela cidade, ela tinha uma média de 11 homens para cada mulher, e ser Paulistano me colocava em grande vantagem aos outros homens na cidade. Nenhum cara com 19 anos resistiria a tal fato. Mas por incrível que pareça, me comportei nesses 9 dias de festa, devido ao fato de estar namorando, mas as investidas femininas (e algumas masculinas, fazer o quê) faziam bem para o ego.
Em 10 dias na cidade eu já conhecia mais pessoas e tinha feito mais amizades que meu irmão, que já estava lá já havia 18 meses.
Passado a loucura do final de ano, resolvi conhecer o lado pacato e ecológico da cidade, e levei o segundo golpe da paixão.
Passei os 4 dias seguintes me revezando entre comer minhas frutas preferidas tirando direto das árvores, nos quintais dos meus próprios parentes, pescando em rios e lagos, tomando banhos em cachoeiras, caçando no mato, e jogando conversa fora a noite sentado em algum banco da praça, que diferentemente das metrópoles, ficam lotadas em quase todos os horários e dias.
Já não sabia mais quem eu era, o festeiro que virou 60 horas direto sem dormir e bebendo, ou o cara tranquilo que amava o silêncio a espera de um peixe pra fisgar o anzol. Mas adorava fato de que ali eu poderia ser facilmente ambos.
Então um dia antes do marcado para a minha volta, um amigo me listou, mais ou menos, todos os eventos e festas que aconteciam na cidade durante o ano, com o bônus de que aquele ano de 2004 era de eleições municipais, o que garantia, praticamente, 6 meses de festas nos finais de semana, e me contou os principais detalhes de cada festa que havia na cidade. Foi o terceiro golpe da paixão, com um toque muito forte de sedução.
O resultado foi que não voltei, fiquei por lá mesmo, terminei um namoro de 3 anos, larguei um emprego também de 3 anos, e quase larguei a faculdade, pois levei seis meses até conseguir transferência para uma universidade de Vitória da Conquista.
Uns dizem que foi uma loucura o que fiz, outros dizem que gostariam de ter a minha coragem, eu digo que eu precisava daquilo, pois foi uma das melhores épocas da minha vida.

_______________________________________________________

_______________________________________________________

E não acabou gente, amanhã vou contar uma história hilária que aconteceu durante as campanhas eleitorais, alguns Blogueiros e Blogueiras aqui já até conhecem essa história, pois contei em áudio num grupo do Whatsapp, e é tão surreal, que quando conto ninguém acredita, então só conto ela na presença da minha mãe, que foi testemunha e pode confirmar os fatos. No dia em que contei no Grupo, teve áudio dela confirmando, senão eu nem teria contado.
Tenham um ótimo dia.
Abraços!

 

 

 

Gill Nascimento

Anúncios
Deixe um comentário

11 Comentários

  1. Que delícia de cidade!! Os encantos das cachoeiras (ps.: no seu texto saiu escrito caichoeiras) e a diversão das festas!! Aguardo ansiosa a história hilária!!! Bj

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  2. adoro a parte do mato, cachoeira!! hahaha.. mas deve ter sido uma mega mudança ne? e as vezes é tudo q a gente precisa naquele momento..
    ja estou curiosa pra ler sua história d amanha!!! nao posso esquecer d passar aqui! hahaha
    bju
    Cris

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. Nossa eu amo lugares assim, quando moramos em cidades grandes tudo que precisamos e sair um pouco e ter novas experiências assim, tem uns 15 dias visitei Goiás Velho e me apaixonei também, bem tranquila e muito verde. Beijos!!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  4. Tu é muito figura, Gill!!!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: