Papo de Bar… Passando vergonha com a namorada!

A vida é caprichosa, e gosta de nos presentear com as mais chatas ironias, e um grande exemplo, é como todo homem um dia encontra uma mulher que curte algo que vai de encontro a algum ponto fraco seu, ocasionando constrangimentos e, algumas vezes, a perda da famosa pose de machão.
Pensando nesse assunto e aproveitando o alto teor etílico que circulava no corpo e na mente dos meus queridos colegas de trabalho, levei o tema para uma mesa de bar, e com muitas risadas descobri algumas histórias bem embaraçosas deles, e contei algumas minhas também, e até o final desse texto decido se acrescento a minha colaboração ao texto, ou não.
Claro, que analisando de um certo ângulo, essas mulheres são ótimas para nós homens, pois em quase todos os casos que citamos durante o Papo, graças a elas, os medos foram vencidos.
Um dos meus colegas contou que quando conheceu sua esposa, teve que lidar com ela e todo o amor que tinha por aventura e adrenalina, principalmente envolvendo altura, ela amava escalar, adorava parques de diversões com aqueles brinquedos radicais, e tinha uma paixão desmedida por asa delta. E ele por sua vez evitava ficar próximo a beirada das lajes em dias de churrasco, por simplesmente não suportar altura.
Aí entra o defeito de quase todos os homens, e me incluo nesse meio, não admitimos nossos medos, pintamos um homem cem porcento destemido para nossas mulheres, e nem eu mesmo sei o porquê disso.
Esse meu colega sofreu muito no início do relacionamento, certa vez ele travou nos primeiros quinze metros de uma escalada no Rio de Janeiro com a namorada, e deu a desculpa de que estava ajeitando o equipamento de segurança. Em outra ocasião gritou como um gay no show da Madonna, numa atração do Playcenter, e inventou pra namorada que fez só pra se divertir.
O engraçado é ele acreditar que ela acreditou nas suas péssimas mentiras. Ela é mulher, ela sabe.
Outro colega lembrou como sofreu com a sua esposa no início da relação, pois ela era uma baladeira nata, e ele era mais tranquilo, e muito, mas muito fraco mesmo pra bebida, enquanto ela por sua vez era famosa pela resistência alcoólica. Chegava o fim de semana, ele queria um domingo de filmes no sofá, e ela queria uma noite de sábado regada a drinks e muita música eletrônica, ele queria uma taça de vinho, no máximo duas, e ela queria doses e mais doses de tequila.
O problema é que ele nem mencionava suas preferências, e então encarava as dela, e usava sempre a mesma desculpa de que ia beber pouco porque teria que dirigir, o que é mais do que um motivo muito justo. O problema era quando ela resolvia chamar um táxi para ambos poderem se divertir, dava um trabalho enorme para ele fingir que estava bebendo tanto quanto ela. Com o passar do tempo, balada por balada, e de dose em dose, ele acabou aumentando sua resistência, mas até então, já tinha certeza que a namorada tinha se tocado, e certa vez, numa reunião de família, ela insinuou que desconfiava que grande parte da felicidade dele, quando ela engravidou antes mesmo de casarem, foi pelo fato de ter sido obrigada a sossegar.
O terceiro exemplo eu me compadeci, pois sofri muito com isso quando comecei a trabalhar na área de publicidade.
O terceiro colega lembrou o azar que teve de se apaixonar por uma mulher que ama viajar, sendo que ele tinha simplesmente pavor de aviões.
Logo no início do namoro viajaram juntos para Nova Iorque nos Estados Unidos, e ele pra não passar vergonha engoliu uma dose cavalar de calmantes na hora do embarque. Não lembra nem de ter colocado o cinto antes do avião decolar. E o pior é que a esposa dele não gostava apenas de viajar, ela amava aviões também, então ele teve que lidar com a decepção dela, quando ele simplesmente apagou no vôo. Na volta ele teve que voltar acordado, se cagando de medo, mas tentando disfarçar.
O mesmo aconteceu seis meses depois numa viagem para Porto de Galinhas, e outros 5 após, para Lençóis Maranhenses, hoje em dia ele não tem mais problema com aviões, e ela perdeu o gosto pelas aventuras.
Eu por minha vez, tinha um problema muito grande com a minha imaginação, o que me causava vários problemas quando o assunto eram filmes de terror, na hora do filme eu nem me assustava tanto, o problema depois eram os pesadelos. Eu não conseguia dormir. E quem rir de mim não vai para o céu.
E pro meu azar, certa vez arrumei uma namorada que simplesmente era fascinada por filmes de terror, ela gostava tanto ao ponto de ir duas vezes ou mais no cinema, pra assistir o mesmo filme.
No início eu tentava aproveitar que ela não estava nem aí pra mim, e nem prestava atenção nos filmes, mas o sexto sentido feminino é demais, ela começou a perceber, aí entrou em ação outro dom feminino, o de fazer duas coisas ao mesmo tempo, e com excelência, ela assistia o filme, e confirmava se eu estava assistindo também. Perdi as contas de quantas noites de sono eu perdi, e quado ela ia dormir no meu apartamento era ainda pior, tenho certeza que ela ligou os pontos, mas de mim ela nunca ouviu uma confissão.
Hoje em dia eu não tenho mais esse problema, e sou fissurado em filmes e livros de terror, acho até que deveria ligar para ela e agradecer.
Então vai aí algumas dicas para os meus amigos leitores do sexo masculino, assumam seus medos e evitem problemas, ou então não assumam, e se livrem deles na marra, graças ao vosso orgulho, mas o melhor mesmo é procurar uma mulher que não goste daquilo que você odeia.

 

 

 

Gill Nascimento

O melhor incentivo que alguém pode dar…

Por mais que sejamos fortes, confiantes e seguros, sempre irão existir aqueles momentos em nossa vida, em que teremos duvidas sobre a nossa capacidade, em que não confiamos na nossa própria força, em que desconfiaremos da nossa perseverança, e que estaremos em sintonia com a nossa falta de fé em nós mesmos.
Por mais resistente que seja a casca, nunca sabemos o quão frágil pode chegar a ser o conteúdo interno.
E quando somos golpeados por todos esses péssimos sentimentos, o que seria de nós nesse mundo, se não fossem os nossos familiares e amigos nos dando força e incentivo, naqueles tristes momentos de insegurança que insistem em nos afligir?
Já mencionei várias vezes aqui que sou péssimo com decisões, então sempre valorizei muito esse tipo de ajuda, principalmente porque sou impulsivo, quando uma dúvida me tortura, praticamente jogo cara e coroa pra tomar uma decisão, se não houver ninguém por perto para me impedir.
Ainda assim estou seguindo em frente, sempre com 50% de chances de que as coisas dêem certo, e a mesma probabilidade de que dê tudo errado, graças a essa impulsividade. Mas e quem não é assim?
Porque a maioria das pessoas travam quando estão em dúvida, pelo medo de arriscar e acabar pegando o caminho errado.
Aconteceu isso recentemente com um amigo meu, ele havia chegado numa parte da estrada em que ela se dividiu em uma bifurcação, e ele simplesmente não sabia por qual caminho seguir.
De um lado ele tinha um caminho seguro, que resolveria os seus problemas atuais, de maneira simples e eficaz.
E do outro ele tinha um caminho mais conturbado, cheio de curvas sinuosas, buracos na estrada, mas que continha durante o trajeto a vista da qual ele queria se lembrar, porém ele não tinha certeza se era um motorista capacitado para seguir tal caminho.
Essa dúvida e essa insegurança estavam acabando com ele.
Quando me ligou para me contar e perguntar o que eu achava que ele deveria fazer, praticamente todos os nossos amigos, e seus familiares já haviam dito a mesma coisa que eu acabei lhe dizendo, que deveria seguir seu coração, confiar mais em si mesmo e na força que tem e desconhece, e seguir aquele caminho que o deixaria feliz, pois não valeria a pena alcançar um objetivo se não houvesse o sabor da satisfação no final, e que não valeria a pena também sacrificar um sorriso sequer, por causa de um caminho mais simples.
Quantas vezes fazemos isso, não é mesmo?
Pegamos um caminho mais fácil, para chegar ao mesmo destino do caminho mais difícil, mas a nossa alegria e o sabor da conquista ficam lá atrás, no exato ponto em que paramos na bifurcação, sofremos com a dúvida, e acabamos por escolher a rota com menos riscos.
Alguns diriam que é eterna luta entre o coração e o cérebro, quando paramos diante dos dois caminhos que temos para seguir, o cérebro indica o caminho mais simples, o coração aponta para o caminho mais complicado, o cérebro quer evitar dor de cabeça, e o coração quer acelerar e sentir a adrenalina.
E a gente nunca sabe qual dos dois devemos ouvir, afinal, ambos sempre possuem ótimos argumentos. Nesse momento entram as pessoas em quem confiamos em pedir suas opiniões.
Com o meu amigo que citei, após ter falado comigo, nada mudou, ele continuava se corroendo em dúvidas e sem saber qual trajetória tomar, por mais que todos tenham dito a mesma coisa, que no caso seria para ele seguir o coração e encarar um pouco de adrenalina, para não ter que deixar para trás parte da sua felicidade em troca de um pouco de segurança.
E então tive certeza sobre uma das grandes verdades do mundo, da qual já suspeitava por experiência própria.
Meu amigo seguiu seu coração  no final, e até então está ótimo e feliz, além de satisfeito, mas ele não fez isso porque enchemos ele de palavras motivadoras, e inflamos seu ego falando sobre a sua capacidade, ele tomou essa decisão no primeiro momento em que alguém disse que o melhor caminho para ele era o mais simples e fácil, pois não achava que ele tinha capacidade de encarar o caminho mais difícil, superar os obstáculos, e ainda se dar bem no fim da história.
E essa é uma das grandes verdades do mundo, não existe melhor incentivo e injeção de força e confiança, do que uma pessoa que duvide que nós sejamos capazes.

 

 

 

Gill Nascimento

As 5 Mais… Chamando atenção no Whatsapp!

Hoje em dia todo mundo tem uma vida dupla, a sua vida social, em que cuida da casa, do trabalho e da família, e a vida virtual, onde compartilham seus momentos, para que amigos e parentes mais distantes, possam se sentir um pouco mais próximos, e saber as novidades.
Mas e quando a pessoa é solitária na vida social e dá mais preferência a vida virtual, e acaba se deparando com um dia em que todas as suas companhias virtuais, parecem ter escolhido para aproveitar a realidade fora do mundo da internet, o que fazer?
Por isso estou aqui hoje, para dar 5 dicas de como fazer os seus contatos te darem atenção na maior rede de comunicação do momento, o famoso e, às vezes, polêmico Whatsapp. Isso pelo fato de que não basta a gente chegar e mandar uma mensagem, porque corremos o risco de acabar ficando sem resposta, e nada dói mais que o famoso “vácuo”, principalmente se acompanhado dos dois vistos azuis, que podem significar “Eu vi, mas você não é tão importante assim para que eu pare o que estou fazendo, só para te responder!”.
Então se você estiver se sentindo solitário(a), e quiser conversar, mas não quiser correr o risco de acrescentar à solidão, a dor de ser ignorado, sigam as 5 dicas que darei agora…

 

PRIMEIRA DICA

 

Cause comoção.
Nada como pessoas compadecidas de uma situação triste sua para te dar total atenção, e nada como o luto para causar esse sentimento.
Então vá no Google e baixe uma imagem que represente luto, o tradicional laço negro ou a rosa negra são as melhores opções, e coloque no seu perfil do Whatsapp, coloque uma carinha triste como status, e espere, apenas espere.
Mas agora vai um dica sobre esse truque, a primeira coisa que vão perguntar é o que aconteceu e quem morreu, diga sempre que prefere não falar sobre isso, pois já está muito triste, e invente alguém querido na sua vida, e mate-o.
Claro, você corre o risco de que antes de alguém interessante venha puxar assunto, apareçam duas dúzias de parentes chatos querendo saber quem foi que morreu, mas vale a tentativa, e você estará de luto, eles entenderão o fato de você ignorá-los.

 

SEGUNDA DICA

 

Cause curiosidade.
A curiosidade é capaz de vencer o tédio, a indisposição, a antipatia e até mesmo o orgulho, se conseguir despertar a curiosidade dos seus contatos, você nunca ficará só naquele bendito aplicativo.
A frase de status é a melhor maneira de despertar a curiosidade das pessoas no Whatsapp, eu tenho vários contatos que não podem ver um status diferente do normal, seja ele triste ou enigmático, que surgem perguntando o que significa, uma vez testei essa teoria, só para ver, e funcionou maravilhosamente bem, umas dez pessoas me chamaram na hora seguinte a atualização de status.
Inclusive, vou dar como exemplo a mesma frase, coloque no seu status algo do tipo “Meu Deus do céu, eu não acredito que isso aconteceu comigo :(“, e novamente, apenas aguarde.
Claro, como na primeira sugestão, existe um porém, como o risco de que surjam pessoas já arriscando adivinhar o que aconteceu, e você pode se decepcionar, com algo do tipo “O que houve? Terminou com o namorado? Eu disse que ele não prestava!”.
Mas vale a pena arriscar, pessoas curiosas não abandonam uma conversa enquanto não matam sua curiosidade.

 

TERCEIRA DICA

 

Cause espanto.
Nada como pessoas surpresas, para darem atenção pra gente no nosso momento de carência virtual, mas a pergunta que fica é:
“Como causar espanto nos contatos?”
Isso não é difícil, mas essa dica é melhor não se aplicar em todos os contatos, então primeiramente vá em configurações, conta, privacidade, e coloque todas as opções, foto do perfil, visto por último e status, para apenas seus contatos verem, e então bloqueie os contatos que você não gostaria de causar espanto, e até decepção.
Depois de feito isso, fique só de lingerie, ou só de cueca, ou completamente sem roupa se preferir, vá em frente ao espelho da sua casa e tire uma foto, e coloque no perfil. Pra completar, coloque no status “Bebi demais, não me julguem!”. E mais uma vez, espere, o que aparecerá de gente perguntando se você enlouqueceu, não vai dar nem pra contar.
Claro, essa opção também têm seus riscos, como o fato de as pessoas que você bloqueou para não verem sua foto, ficarem sabendo pelas pessoas que voce escolheu, sobre o seu pequeno surto de indecência.

 

QUARTA DICA

 

Deixe as pessoas confusas.
Claro que nem sempre podemos esperar que as pessoas nos chamem, e pode acontecer de você não ter todos os tipos de contatos como eu, que vai dos curiosos aos depravados, então também pode vir a ser necessário atacar mais abertamente.
Existe uma função muito boa e pouco usada naquele aplicativo, a não ser por aquelas pessoas que adoram enviar as famosas “correntes”, a chamada Lista de Transmissão, então se prepare para dar a ela uma nova utilidade.
Clique em “Criar Lista de Transmissão”, selecione os contatos que gostaria de bater um papo, e então mande uma mensagem simples, mas que deixará todos sem entender nada, algo como “Vai se ferrar, eu te odeio!”, e espere as respostas, depois é só dizer que mandou por engano, que era pra outra pessoa, curiosos farão o papo rolar querendo saber quem você odeia e quer que se ferre, as outras você terá que se esforçar um pouco mais.
Cuidado, pode acontecer de você receber respostas do tipo “Vai se ferrar você, eu te odeio ainda mais!”, mas é um risco que será preciso correr.

 

QUINTA DICA

 

Seja menos seletivo.
Se você quer mesmo falar com alguém, e não importa com quem seja, essa é a dica com maior chance de sucesso, cem porcento eu diria, mas pra essa dica você precisa ter disponibilidade de tempo, e principalmente paciência, e dessa vez não é para esperar, mas sim para dar atenção a todos.
Basta você clicar na opção “Criar novo Grupo”, adicionar todos os seus parentes da lista de contatos, e colocar um título no Grupo como “Melhor Família do Mundo”, e esperar alguns segundos, pela mensagem da primeira tia que digita pelos cotovelos.
Nessa dica, o único risco que você corre, é o de se arrepender de ter feito isso, apenas alguns minutos depois.

 

_________________________________________________________

_________________________________________________________

 

Por hoje é só, pessoal, mas terça que vem tem mais, estou sem tema definido ainda, mas podem ter certeza que irei caprichar, ou ao menos tentar.
Me mandem sugestões de tema, estou precisando (risos), e claro, como sempre digo, vou adorar atender aos vossos pedidos, e fazer o meu melhor pra superar as expectativas ao atendê-los.
Fiquem na paz…
Abraços!

 

 

 

Gill Nascimento

Papo de Bar… Um pouco de virtualidade na realidade!

Meus amigos e eu, quando nos juntamos em volta de uma mesa de bar, geralmente deixamos nossos celulares completamente de lado, às vezes, principalmente quando há alguma mulher no meio, o máximo de uso dado para os aparelhos, são casuais fotos para depois serem postadas em alguma rede social, mas fora isso, geralmente eles ficam esquecidos mesmo.
No penúltimo fim de semana, um colega que estava juntamente comigo e outros colegas, tomando umas para esquecer da correria que tem sido no trabalho e para relaxar, não estava obedecendo essa nossa regra, devido o fato de uma prima ter se casado e ele não ter comparecido, por estarmos viajando, então ele estava vendo no Facebook as fotos e os comentários para saber o que perdeu.
Então do nada, já meio ébrio, fiz uma pergunta para eles: O que vocês fariam se a vida real, fosse como uma Rede Social?
E obtive algumas respostas bem interessantes…
Logo de cara um deles falou:
“Com certeza eu usaria e abusaria da função bloquear. Tem muita gente na minha vida que eu adoraria esquecer, não saber o que se passa com elas e não deixá-las saber o que se passa comigo, seria ótimo ter essa função sem restrições.”
E todos concordaram que seria realmente bom demais mesmo.
Outro continuou:
“Eu adoraria ter a função MUTE do Twitter, ou até mesmo o UNFOLLOW, só pra não ter que lidar com as besteiras que algumas pessoas dizem, porque o que mais conheço nesse mundo são pessoas que, quando pensam em algo útil e aproveitável, guardam para si, mas adoram uma plateia quando tem alguma merda para falar.”
E outra vez todos concordaram que seria maravilhoso ter essas funções disponíveis na vida real.
Dando continuidade, outro colega acrescentou:
“Com certeza poder ficar offline seria a melhor, porque na vida real quando a gente quer se desligar de tudo, ficar sozinho, curtir o silêncio e um pouco de solidão, e até mesmo sermos antsociais, parece que todo mundo lembra da nossa existência e resolvem nos procurar, tornando impossível ter um pouco de paz e sossego.”
Fomos todos, mais uma vez, obrigados a concordar, essa função seria algo Divino e usado com muita, mas muta frequência mesmo.
Continuando a lista de funções, dei minha contribuição:
“No meu caso eu adoraria ter a opção de apagar o histórico, esquecer de certas coisas, ocasiões e pessoas, limpar a existência disso do meu servidor, junto com a opção de ficar offline, acho que seria a maneira ideal de encontrar a paz em sua plena perfeição.”
E a concordância geral mais uma vez reinou na mesa.
E as sugestões continuaram vindo, o primeiro a falar deu sua segunda opinião:
“Eu gostaria muito de ter também a opção de Inbox particular  com Criptografia nas minhas conversas privadas, porque parece ultimamente que todas as paredes as quais fico envolto, possuem ouvidos, a palavra particular tem perdido completamente o sentido.”
Essa opção seria ótima, menos para as minhas vizinhas e tias fofoqueiras, mas a concordância mais uma vez foi geral.
E as sugestões seguiam para a segunda volta na mesa, o segundo a falar deu mais uma ótima dica:
“Eu adoraria que a minha vida tivesse uma conta pró, só pra eu poder cortar os anúncios, não é porque trabalho com isso que significa que gosto de ver, além de cortar também a auto promoção de algumas figuras que me enchem o saco. Pagaria por essa regalia com todo prazer.”
Os outros e eu, com certeza absoluta também pagaríamos.
Então o terceiro falou novamente:
“A opção compartilhar seria bem legal, tem tanto conteúdo bom por aí que eu adoraria disseminar, pra colocar dentro da cabeça de algumas pessoas um pouco de juízo e conteúdo, e fazer isso com uma de cada vez dá muito trabalho, pois tem muita gente imbecil na minha vida.”
Todos concordaram, menos eu, que disse que com os imbecis eu usaria a função bloquear, então de nada adiantaria.
Então finalizei, mas não citando uma função que gostaria de ter, mas uma que eu desativaria com certeza:
“A função dos comentários, essa com certeza eu odiaria ter, até porque já tenho, tudo que faço ou que falo resultam em muitos comentários que eu adoraria dispensar, mas que não posso, os haters e os stalkers me amam, e não me deixam em paz, já estou quase começando a acreditar que minha vida é mais interessante do que eu vejo.”
E dessa vez a concordância veio até das mesas vizinhas.
A conclusão que chegamos é que a vida virtual é uma simulação da vida social que adoraríamos ter, e então mudamos de assunto, porque já tinha gente pensando em cometer suicídio virtual, pra não mais se iludir.

 

 

 

Gill Nascimento

A magia dos Bares!

Já perdi as contas de quantos leitores e leitoras comentaram algum texto meu dizendo que bebo demais ou que vivo no bar, mas se não fossem alguns drinks e os bares desse mundão de meu Deus, não existiriam textos nas segundas, aqui no Blog, e além disso, um bom bar pode ter sua magia.
Como certa vez, um amigo que estava passando por um momento muito dificil tanto na vida pessoal, quanto na amorosa e profissional, e já estava pensando em chutar o balde de vez, o que deixou alguns outros amigos e eu preocupados, já que não sabíamos se ele se referia a pedir demissão, e mandar todo mundo à merda, ou se pensava mais em algo do tipo uma corda pendurada no teto.
Como bons amigos que somos, tentamos ajudá-lo a aliviar um pouco essa barra, uma dose de cada vez, um bar a cada dia.
E não é que nosso plano um dia deu certo, do nada enquanto estávamos num barzinho sentados em volta de uma mesa, conversando sobre assuntos variados, ele se levanta pra buscar mais uma rodada de bebidas, sem paciência para esperar o atendimento do garçom, pois o ambiente estava meio lotado na ocasião, e quando voltou, possuía um novo ânimo e uma nova visão sobre todos os problemas que o atormentavam.
Então ele nos contou o que aconteceu.
Segundo ele, enquanto esperava o atendimento do Barman, escutou uma conversa entre dois caras que estavam próximos, e aparentemente um deles estava passando por maus bocados, assim como ele próprio, e ouvia o consolo do amigo, e até nos apontou os dois caras.
As palavras de conforto desse bom amigo foram mais ou menos assim:
“Eu sei que as coisas estão ruins agora, mas veja pelo lado bom, quanto maior a tormenta, maior e mais longa será a era de bonanças que virá a seguir, não se desespere, você é forte, e já superou desafios piores, lembro bem, nos conhecemos a muito tempo, vai se abater logo agora?
E não se esqueça, muita gente depende de você, use isso para manter o foco e obter mais determinação e força, e verá que você vai conseguir. E qualquer coisa, faça de nós, seus verdadeiros amigos, os seus alicerces, sabe que pode contar com a gente.
E esquece aquela idiota, cara, você sabe que é ela quem vai sair perdendo.”
E então meu amigo começou a pensar no quanto estivemos próximos dele nos últimos dias, não só nós, amigos dele, como também seus familiares, e pensou também na sua família, que precisa dele, e que sempre contou com a sua lucidez e responsabilidade na hora de tomar decisões, e o quanto ele tinha deixado todos na mão ultimamente, e também percebeu que sua ex não merecia nem sequer uma palavra de lamento da parte dele, pois ele sempre tentou ser o melhor namorado possível, e de repente adquiriu um auto valor próprio que nunca teve antes, e se sentiu muito, mas muito melhor mesmo.
O engraçado, e também revoltante, é que, praticamente, cada um de nós que estava ali com ele naquele dia, já havíamos falado basicamente as mesmas coisas para ele, e não conseguimos fazê-lo se sentir melhor, mas quando um estranho falou, e nem pra foi para ele, simplesmente ele se sentiu revigorado como num passe de mágica, vai entender.
Um tempo depois foi minha vez de ir buscar a próxima rodada, e então aproveitei para agradecer ao cara, que tanto ajudou, mesmo sem nem saber, o meu amigo, ele realmente tinha operado um milagre.
Foi então que descobri que as palavras dele, de motivação, direcionadas ao amigo, eram referentes a uma aposta em que o cara estava participando, e seus amigos haviam casado mil reais na vitória dele, sobre uma mulher que o desafiou, para ver quem cairia primeiro com a bebida da casa, acontece que a mulher era quase imbatível, grande vantagem de ser cadeirante.
Nós dois rimos um bocado quando tudo ficou claro, mas prometemos ambos guardar isso em segredo, já que tinha ajudado tanto o meu amigo.
É como eu disse, os bares podem ser lugares mágicos.

 

 

 

Gill Nascimento