O dia mais louco que eu vivi…

Existe uma pergunta que eu sempre fazia para os meus amigos, assim que voltei de Minas Gerais:
“Vocês conseguem imaginar como é uma eleição municipal numa cidadezinha de interior com 17 mil habitantes?”
Eles até que tentavam imaginar, mas nunca chegavam nem perto, a maneira mais simples e curta de tentar explicar algo desse nível, era dizendo ser uma simples e completa loucura, o que na verdade resumia muito bem, mas como era eu dizendo, sempre completava com muitas histórias, para pintar nas mentes sedentas por micos e comédias, uma singela noção da realidade de tamanho evento.
E uma em particular eu sempre gostava de contar, mas como disse ontem, só fazia na presença da minha querida mamãe, que também presenciou tudo, e podia confirmar a veracidade da história, porque confesso, se fosse eu o ouvinte, ou leitor, dificilmente acreditaria, de tão absurda que parece ser.
Mas vamos a história…
Nessa cidadezinha, havia o até então atual prefeito e candidato a reeleição, e quando as campanhas começaram, assim como nas eleições municipais anteriores, só houve um adversário, o que me deixou entusiasmado desde o início, pensando em como isso poderia ser, e fiquei muito feliz ao perceber que nem cheguei perto de imaginar a loucura que seria aquelas eleições.
Quando contava para os meus amigos de São Paulo, eles achavam ridículos alguns detalhes das histórias, como algumas manias do povo, por exemplo, e confesso, eu no começo também achava a mesma coisa, mas isso não durava muito, logo eu adotava as mesmas manias e achava demais.
Um bom exemplo eram os apelidos dos eleitores. Por serem dois candidatos a prefeito, então os partidos se uniam e formavam duas chapas, e devido isso a cidade se dividia em duas também, de um lado os Torranos, eleitores do atual prefeito na época, que era um grande fazendeiro de café, daí o apelido, e do outro lado os Pokanos, que eram eleitores do outro candidato, que por acaso era meu primo, e hoje é o prefeito da cidade, ele é um fazendeiro de cítricos, onde o produto principal eram as mexericas pokan, o que também rendeu o apelido dos seus eleitores.
E não é exagero de minha parte dizer que a cidade se dividia em duas, acreditem, casais se separavam por apoaiarem candidatos diferentes, filhos e filhas eram expulsos de casa por não apoiarem a mesma coligação que os pais, e brigas aconteciam com muita frequência nos bares e nas ruas, até mesmo nas escolas as crianças brigavam, sem nem mesmo terem idade eleitoral.
A loucura era tão grande, que fizeram escalas para as campanhas dos candidatos, um dia de campanha de um, e no outro dia do outro, no dia de campanha de uma coligação, os candidatos da chapa adversária não podiam se promover, nem mesmo abrir as portas de seus comitês.
No meio de toda essa bagunça eleitoral, havia mais uma família dividida, uma das mais ricas da cidade, e o caçula da família, que por acaso era um bom amigo meu, e muito, mas muito desajustado mesmo das ideias, era um Pokano, enquanto a magnata da sua família, sua avó, era uma Torrano fervorosa. E aconteceu de ela oferecer sua linda fazenda para que o prefeito da cidade promovesse um showmício e um almoço para seus eleitores, e quem sabe conquistar mais alguns.
A verdade é que mudando ou não de lado, num evento desse porte, onde tinha comida, churrasco e bebida a vontade e de graça, a cidade inteira, praticamente, marcava presença, inclusive eu, que não havia mencionado ainda, mas era Pokano roxo, não pelo fato do candidato ser meu primo, mas sim porque mexerica é minha fruta predileta, e também porque ele me pagou R$500 na época, só pra eu transferir meu título para lá.
E enquanto toda cidade esperava pelo dia de se fartar e encher a cara a custa do prefeito, meu amigo perturbado estava tramando um plano, que virou a cidade inteira de cabeça para baixo.
No dia anterior a festa, ele vizitou de madrugada, e sem que ninguém soubesse, a fazenda da sua avó, e trocou os potes de sal, que seriam usado para temperar toda a comida do evento, por potes de sal misturado com uréia, usada nas folhagens das plantações de café para espantar e matar os insetos. As cozinheiras nem notaram a diferença na hora de fazer a comida, devido a semelhança dos dois produtos.
A festa correu normalmente e bem demais, até acima das expectativas. Mas foi a noite, por volta das 22 horas, quando todos já estavam em suas casas, alguns ainda bêbados, que literalmente a merda foi jogada no ventilador.
Eu dei a extrema sorte de não comer nada na festa, pois almocei na casa de um tio meu, com quem havia pescado no dia anterior, e não quis perder o saboroso fruto de nossa pescaria, cozido pela minha tia que tem um talento incrível na cozinha.
Mas quem comeu se deu muito, mas muito mal mesmo.
Quando chegou um certo ponto da noite, eu já havia me deitado para dormir, pois tinha exagerado um pouco na cerveja, começo a ouvir os gritos da vizinha da direita e da sua neta, e não muito depois, começou também os gritos do casal de vizinhos da esquerda, e da suas filhas.
Longos e angustiantes gritos de pessoas que precisavam usar o banheiro, e que não aguentariam esperar muito tempo. Isso mesmo, o efeito causado pela uréia foi soltar violentamente o intestino de todo mundo que comeu, praticamente 90% da cidade.
Eu bêbado, mesmo com os gritos, consegui dormir, mas no outro dia foi uma loucura, por onde eu passava eu ouvia relatos das pessoas, dizendo ter passado a noite inteira no banheiro, muitos diziam estar até com assaduras, e a situação era tão comum entre todos, que eles nem sentiam mais vergonha de falar, muitos admitiam não ter conseguido chegar a tempo no banheiro.
E acreditem se quiser, a cidadezinha até estava cheirando um pouco mal, de verdade. Uma mulher na minha rua levou restos da comida para dar aos porcos em seu sítio, e dois deles morreram.
Ouvi histórias de que uma mulher grávida teve um aborto instantâneo devido isso, mas esse fato não posso atestar, pois até sair de lá ainda não havia conseguido saber se era verdade.
Mas o mais absurdo de tudo foi o que aconteceu no hospital da cidade, e isso eu garanto por ter sido vizinho de uma enfermeira do hospital, e morar em frente ao clinico geral. No final da noite, início da madrugada, o hospital lotou, e o problema, como imaginam, não era a quantidade, mas sim o fato de todos terem o mesmo problema, e como esse problema estava tornando o ambiente do hospital insuportável e o ar irrespirável, o que fez os funcionários do hospital chegarem ao ponto de sair arrecadando dinheiro entre eles mesmos e os pacientes, e tendo feito isso, ligaram para um morador da cidade que tinha um caminhão com o qual fazia carretos, contrataram seus serviços, e pediram para que ele levasse todos os pacientes para cagar no mato.
Meu amigo? Bem, depois disso e até eu voltar para São Paulo, ele ficou desaparecido, pois recebeu muitas ameaças, mas fiquei sabendo que tudo se resolveu e ele voltou um tempo depois.
Já a cidade voltou ao normal, com toda sua loucura eleitoral, dois ou três dias depois, o cheiro demorou uns quatro.

_______________________________________________________

_______________________________________________________

Quando contei essa história no Grupo de Blogueiros e Blogueiras do Whatsapp, pedi que minha mãe mandasse um áudio confirmando se era verdade ou não…
Beijos especiais pras lindas Flávia e Mayara do Blog Coelho da Lua, Juliana do Blog Fabulônica,  Natália do Blog Only Secret Dreams,  Sílvia do Blog Reflexões e Angústias, Letícia do Blog Os Benefícios de Beber Café, Laynne do Blog Meu Espaço Literário, e o amigo Palhão do Blog do Palhão, que já ouviram essa história, e me incentivaram na época a contar aqui. Espero que vocês tenham gostado.
Abraços!

 

 

 

Gill Nascimento

Anúncios

De frente com a Presidenta!

image

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Um dia desses eu estava conversando com uma amiga e colega de trabalho sobre assuntos variados, num daqueles momentos em que a gente está meio que sem nada pra fazer na empresa. Essa minha amiga e colega tem uma característica bem legal na hora de falar, ela fala muito pausada e calmamente, sempre escolhendo bem as palavras antes de dizer, e eu como amigo chato que sou, vivo antecipando as palavras dela, completando suas frases, ou ao menos tentando, e ela odeia muito isso.
Nesse dia em especial o assunto que ela de repente iniciou, geralmente não gosto muito de discutir, mas como estava em jogo minha pirraça diária, abri uma exceção.
Ela começou a sua frase: “Eu gostaria de encontrar a Presidenta Dilma, só pra poder perguntar pra ela…”.
Foi nessa hora que interrompi e falei:
– “Você gostaria de encontrá-la pra perguntar como ela conseguia conviver com a própria consciência, depois de ter prometido tantas coisas durante sua segunda campanha eleitoral, e estar agora fazendo exatamente o contrário.”
Ao que ela disse que não, que não era isso que iria falar, e já ia terminando de dizer o que começou, quando eu interrompi novamente:
– “Então você gostaria de encontrar com ela pra poder perguntar o que vai acontecer com os aposentados e seus décimo terceiros na aposentadoria, e com o abono salarial dos trabalhadores, que têm sido informados pelos bancos de que o benefício foi cortado.”
E novamente veio a negativa, dessa vez apenas com um balançar de cabeça, sinal de que ela já estava ficando com raiva da minha pirraça, mas também sabendo que aquilo era só o início. Ela respirou fundo e ia continuar o que começou a dizer, quando novamente interrompi:
– “Então você gostaria de perguntar se ela tem algum plano pra se sobressair nessa crise, e se ela tem esperança de que conseguirá recuperar a confiança das pessoas que a elegeram.”
E pra minha surpresa novamente eu estava errado, e já começava a me preocupar com o fato de que, pela primeira vez, poderia não conseguir adivinhar o que ela estava pensando em dizer. Ela me olhou com o canto de olho e ia continuar quando tentei novamente:
– “Então você gostaria de perguntar pra ela se ela teme o impeachment, se ela consegue dormir direito a noite, e se ela está envolvida de alguma maneira em algum dos casos de corrupção que surgiram no país nos últimos anos.”
Acho que nem preciso dizer que me enganei novamente.
Na verdade ela já estava se divertindo com a situação, vendo que eu enfim seria derrotado, e eu estava muito incomodado com tudo isso.
Pensei, pensei e pensei mais um pouco e nada me veio em mente, não conseguia imaginar no que ela estava pensando. Não aguentando mais perguntei o que ela gostaria de perguntar pra Presidenta Dilma, se à encontrasse, nisso ela respondeu:
– “Gostaria de saber qual foi a dieta milagrosa que ela fez pra emagrecer tanto “

Essas mulheres!

Gill Nascimento

Agosto de 2010

image

Tudo começou após agosto de 2010.
Tudo desandou depois de agosto de 2010.
Você, brasileiro por natureza, mas não por escolha, que acompanha involuntariamente o fardo que é, ter nas veias correndo o sangue que provém dessa nação, se buscar em sua memória, lembrará, as coisas nunca foram muito boas por aqui, mas de agosto de 2010 para cá, parece que o inferno se instalou nessa terra que amavelmente chamamos de Pátria.
Desse bendito mês nesse bendito ano em diante, começou a acontecer as ações que resultaram nas reações, que nos trouxeram de maneira brusca e desenfreada, totalmente sem controle até a atualidade.
Você pode escolher os acontecimentos que vieram desde então é tirar suas próprias, conclusões.
Foi depois de agosto de 2010 que a Pátria que nos pariu quebrou o salto e começou a tropeçar.
Dizem que a corrupção que tem sido descoberta desde então, vem de muito tempo, e que agora tem sido elucidada e apresentada à nós, mas também não dizem que o que os olhos não vêem o coração não sente? Nesse caso o nosso coração é o bolso.
Eu sei que nem eu e nem você temos culpa da palavra “brasileiro” estar escrita na opção nacionalidade de nosso Registro de Nascimento, mas parece que quem está no poder não sabe disso, e desde agosto de 2010 essas pessoas que detém em suas mãos o poder maior, tem descontado todas as desventuras nacionais em nós, pobres patriotas sem méritos.
As vezes eu leio as notícias, vejo que tudo está cada vez mais piorando, e não posso deixar de pensar em Agosto de 2010, e de pôr toda a culpa em apenas uma pessoa.
Em agosto de 2010 essa pessoa destruiu, sem nem perceber o sonho de muitas pessoas, de variadas classes sociais, desde crianças na pré escola à  idosos aposentados.
Em agosto de 2010 essa pessoa deu início ao caos governamental desse país, fazendo políticos perderem as estribeiras. Era (e é) tanta desgraça ao mesmo tempo que, veículos de notícias, às vezes, não conseguem nem mesmo se organizar, ficam em dúvida de qual desgraça é maior e merece destaque e manchete.
Esse fatídico mês, onde essa pessoa sem juízo fez o que não devia, não causou apenas o caos político lá em Brasília, mas até o futebol, do qual um dia chegamos a falar com um orgulho de dar inveja no resto do mundo, também se corrompeu. Deixou a corrupção entrar, e sabemos que ela entra, mas que dificilmente sai.
Sim, a corrupção é um parasita que suga até ao máximo a alma de uma pessoa, e quando essa não mais a satisfaz, ela apenas muda de fonte de alimentação. As vezes ela pode até parecer que se foi, mas apenas está dormindo, e quando acorda, acorda muito faminta.
E em agosto de 2010 alguém acordou esse parasita.
Tantas coisas poderiam estar diferentes agora, se não fosse o mês de agosto de 2010.
Tantas desgraças poderiam ter sido evitadas se essa pessoa em agosto de 2010 não tivesse falado o que não devia.
Não, a culpa não foi sua e nem minha que, não soubemos escolher quando ficamos diante de uma urna eletrônica, a culpa é de agosto de 2010.
A culpa é do Tiririca, que ao fazer sua campanha política em agosto de 2010, chegou ao ponto de desafiar o destino dizendo que pior do que tava, não ficava.
O destino levou a sério o desafio.
Piorou, e muito.

Gill Nascimento

Eu digo não ao racismo…

image

Se tem algo que torna a Internet um mundo muito divertido de se viver, esse algo são as teorias conspiratórias que surgem, principalmente quando elas tem fundamentos e uma boa quantidade de pessoas se unem pra comentar o assunto em diversas redes sociais. Dessa vez a teoria é no mínimo muito curiosa e interessante.
Vocês devem estar sabendo dos ataques racistas sofridos pela jornalista do Jornal Nacional, a Maju Coutinho, em que várias pessoas comentaram uma foto postada pela produção com os mais derivados tipos de ofensas preconceituosas e racistas. Agora me digam: Vocês acreditam naquilo? Sou só eu ou está achando meio estranha essa situação?
Parece que a Globo há vários dias tem tentado desviar a atenção dos expectadores para assuntos polêmicos e fazê-los esquecer da política. Não é de hoje que muita gente (muita mesmo) considera a Globo como uma emissora com lado subliminarmente declarado, reportando as bombas de um lado da moeda política e as vitórias do outro lado. Só que nas últimas semanas o lado que ela adora notificar as vitórias não têm se dado muito bem, convenhamos, e convenientemente tantas polêmicas apareceram na emissora tirando todo o foco dessas notícias, e agora isso?
Acho que nem preciso citar as polêmicas, nem o lado político, basta ver como anda as coisas em Brasília e lembrar quantas vezes o Cristiano Ronaldo foi assassinado!
Mas só para garantir que não estou ficando louco e me tornando um daqueles paranoicos extremos que vêem uma conspiração em tudo, peguei os nomes dos perfis que supostamente fizeram os ataques racistas e procurei no Facebook e só achei uma pessoa, uma criança que deve ter entrado no embalo, os outros, nenhum existia. Então hoje quando cheguei do barzinho e dei uma olhada em como estavam as coisas nesse maravilhoso mundo da Internet vi a postagem do escritor Flávio Morgenstern no Facebook, já tinha escrito essa postagem antes de sair e resolvi completar. Alguns dos nomes como o Flávio bem percebeu, tem nomes bem peculiares de  personagens de seriados, e outra coisa que eu também não tinha percebido, e nos comentários não se notam erros de português, abreviações ou a tradicional linguagem usada na Internet. E isso me deixou muito mais confiante de postar esse artigo.
Agora pergunto à vocês:
Vocês realmente acreditam em toda essa história?
Eu sinceramente preferia vir aqui todos os dias e postar um texto fictício, que passe uma bela mensagem, nem sei por que criei essa categoria atualidades pra falar do que as pessoas estão falando nas Redes Sociais, nunca encontro um assunto que alegre meu coração ao comentar, e dessa vez não é diferente.
A pergunta que fica é quais medidas serão tomadas pelo MP, pela polícia, pela Globo e até mesmo pelo Facebook, é inadmissível tais comentários serem postados, se forem verdade, e também é inadmissível tais comentários serem postados para ludibriar as pessoas.
Agora, se for verdade toda essa história que ainda acho estranha, não dá para deixar passar sem que nenhuma punição seja dada à essas pessoas, pois na Internet ou não, racismo é crime, e na minha opinião, um dos mais covardes e vergonhosos crimes existentes.
Vivemos em um país em que pessoas desse tipo não abriram a mente de verdade, onde pessoas racistas  não aprenderam que não são superiores a ninguém, e que, quando cometem descriminação racial se tornam na verdade inferiores a grande maioria das pessoas. Pessoas essas que não admitem tais atitudes. E não precisamos que uma emissora invente casos como esse, incentivando os preconceituosos a cometerem tais crimes, caso não haja nenhum rigor da lei ao investigar.
Podem pensar o que for de mim, mas poucas coisas são capazes de tirar a minha paciência e me deixar nervoso e com raiva, e uma delas é a descriminação, seja ela de qual tipo for, e acho que se eu presenciasse tal situação, quem iria preso seria eu, por agredir a pessoa que cometeu o ato de racismo.
Uma vez ao ir em uma consulta médica numa clínica que ficava no último andar de um edifício comercial, edifício que era dedicado apenas à clínicas médicas, presenciei algo do tipo: ao pegar com minha namorada o elevador no subsolo do prédio, uma paciente de outra clínica também entrou no elevador comigo, quando o elevador chegou no térreo parou para outras pessoas entrarem, e tinham apenas duas para entrar, uma senhora que acompanhava uma moça que tinha algum tipo de irritação na pele muito forte e visível, quando a moça entrou, a senhora que tinha entrado comigo no subsolo fez careta e saiu, mas não uma careta qualquer, ela olhou diretamente para a moça com cara de nojo antes de sair, eu ia sair e falar um monte pra essa mulher, só não o fiz porque minha namorada me segurou, mas ao chegar na consultório pedi para a recepcionista ligar na recepção do subsolo e descobrir quem foi a mulher que entrou comigo, a recepcionista ao saber do que se tratava se negou a dar a informação, só deu porque ameacei de fazer uma queixa formal sobre o caso à Polícia. Após saber o nome completo da preconceituosa, fui falar diretamente com o síndico e o gerente administrativo do prédio, que proibiram a entrada da mulher no edifício dali em diante. Depois fui falar com a moça que sofreu o preconceito e explicar o que tinha feito e me disponibilizar como testemunha caso ela quisesse dar queixa. Ela agradeceu muito, mas não quis fazer a queixa.
Merece o lembrete de que todos os elevadores são obrigatórios a existência de uma placa advertindo sobre as consequências da ocorrência de descriminação, contendo também um trecho da lei que pune tal crime.
Mas enfim, não posso dizer que não sou preconceituoso, pois sou, e muito, tenho muito preconceito contra gente racista, tenho asco de pessoas preconceituosas, e se isso for crime pago minha pena com alegria e muito orgulho, e quando enfim tiver pago minha dívida com a sociedade por esse crime, que não me soltem, pois nada será capaz de mudar isso em mim.

Gill Nascimento

Sobre a Maioridade Penal…

Ultimamente não tenho tido muito tempo, graças ao meu trabalho, de estar entrando aqui, tenho tido que ler os posts dos blogs que sigo, à noite, postar de manhã antes do início de expediente, e apenas uma postagem por dia. Mas hoje aproveitando uma folga, resolvi abordar um assunto que tem incomodado muita gente, sintam-se a vontade para expor a opinião de vocês e até criticar algo que eu venha à escrever, toda opinião é bem vinda, até por que é um assunto polêmico e até delicado.
Estamos vivendo um momento polêmico e de muitas discussões envoltos no tema redução da maioridade penal, não quero expor minha opinião pra causar polêmica ou contrariar quem é contra, pois tenho ouvido e lido ótimos argumentos de ambos os lados, e um dos mais fortes de quem é contra a redução, é o fato de que o País não tem estrutura para tal lei, e eu também concordo, se fosse o caso de criar instituições aprisionais especiais para tais faixas etárias, mas não é o caso, na minha opinião o que deve ser discutido é se adolescentes de 16 e 17 anos podem ser presos com os demais acima de 18, e eu simplesmente não tenho nada contra isso, mesmo se esse adolescente fosse um parente meu. Um jovem de 16 anos a pode votar, pode trabalhar com registro em carteira, é mais do que óbvio que eles podem se responsabilizar pelos seus atos.
A verdade é que se pararmos para ler as notícias que são publicadas envolvendo crimes em que adolescentes estão à frente, perceberemos que na maioria das vezes esses jovens têm na verdade menos de 15 anos, jovens que são aliciados por criminosos mais experientes e mal intencionados que tentam afrouxar suas penas se pegos pela polícia.
E agora outra polêmica paralela se forma sobre o assunto, enquanto quem não é a favor da redução da maioridade penal continua manifestando seus argumentos contra tal lei, quem é a favor não tem estado afim de discutir, e sim estão se preocupando com a manobra feita pelo Eduardo Cunha que retirou do texto da lei o tráfico de drogas. A lei se aplicará apenas a crimes hediondos, assassinatos, estupros e sequestros. Gostaria de saber na mente dos políticos que votam as leis o que, para eles, é um crime hediondo. Será que é, além do crime em si, o fato de desestabilizar uma família? Será que é, além do crime em si, o fato de aterrorizar uma vítima ou tirar uma vida? O que é um crime hediondo para esses caras? Por que se for isso, quantas vidas o tráfico tira por dia nesse país, quantas famílias ele destrói e quantas pessoas ele traumatiza?
Em um país onde nossas crianças não têm o direito a uma educação e um lazer adequado, com incentivos que os tirem das ruas, prevenindo assim uma parte considerável da criminalidade no país, agora que eles possuem em suas mãos a chance de remediar um pouco isso, fazendo com que jovens de 16 e 17 anos tenham receios de entrar no mundo do crime, eles simplesmente abrem mão disso. Mesmo para quem é contra essa lei, é mais que óbvio que nesse país o tráfico de drogas é culpado por grande parte do aliciamento de menores na vida do crime, então adianta mesmo reduzir a idade penal sem que o tráfico esteja entre os crimes presentes no texto da lei?
Nesse caso até eu começo a querer subir em cima do muro tentado a pular para o outro lado.

Gill Nascimento