As 5 Mais… Mães e a Internet!

Achando que o mundo não estava bom o suficiente, alguém criou a internet…
E não é que o Sr. Timothy John Berners Lee acertou em cheio, porque sua invenção acabou com o tédio de muita gente, além de toda praticidade que trouxe ao mundo.
O único problema nessa criação, foi que ela se tornou popular tarde demais para a geração das nossas mães, claro que muitas levam jeito pra coisa, mas em contraste com elas, tem àquelas mães que por mais que tentem, todos os dias temos que ensinar as mesmas coisas para elas, como se a informação não ficasse em suas mentes.
A minha mãe é uma dessas, e pensando nas risadas que sempre dou por causa dela e de suas habilidades como internauta, resolvi fazer hoje um Top 5 de curiosidades sobre mães e a internet.
Vamos As 5 Mais de hoje…
 
 

PRIMEIRA CURIOSIDADE

 

Mães e Webcams.
Por estar viajando a trabalho, recentemente minha irmã apresentou para a minha mãe o Skype, porque convenhamos, o roaming internacional das operadoras de telefonia brasileira ninguém merece, e a relação que minha mãe vem tendo com a webcam, na hora de falar comigo, é hilária.
Todas as vezes que ela me liga tenho que falar as mesmas coisas:
“Mãe, a senhora está muito perto da câmera!”
“Mãe, agora a senhora está longe demais, não estou te ouvindo direito!”
“Mãe, apenas sente na cadeira normalmente em frente ao computador.”
“Mãe, normalmente a senhora fica colocando a cara em frente à câmera assim?”
E quando ela se lembra que basta olhar no monitor que verá no quadradinho menor, como ela está aparecendo, aí fica tentando se ajeitar, e acaba esquecendo de conversar.
 
 

SEGUNDA CURIOSIDADE

 

Mães e Redes Sociais.
A maioria das mães são meio que padrão, por isso abandonei meu primeiro Facebook, onde se encontra toda minha família, porque não conseguia aturar minha mãe e minhas tias.
Minha mãe parece que monitorava o Facebook 24 horas por dia.
Se eu saísse com os amigos e postasse uma foto com eles num bar, ela já comentava perguntando se eu estava de carro, ou algo do tipo “Tem tempo pra ir beber com os amigos, mas não tem tempo pra vir fazer uma visita né? Não vou curtir essa foto!”.
Eu me segurava para não bloquear a velha nessas horas. E quando ía vê-la, a primeira coisa que perguntava era o porquê de eu não ter respondido seu comentário, mas ter respondido os dos outros.
Mas além dos micos que as mães nos fazem pagar, tem outra coisa que elas sempre fazem, não podem ver uma corrente, que compartilham, desconfio eu que, são nossas mães que criam essas correntes, porque não sei de onde surgem. Certa vez briguei com a minha irmã por isso, porque é outro padrão, são sempre os filhos mais novos que ensinam as mães a usar o Facebook, e a minha irmã além de ensinar a minha velha a compartilhar as correntes, ensinou ela a sair marcando todo mundo. Até hoje tem umas 100 postagens pendentes da minha lá no meu Facebook.
 
 

TERCEIRA CURIOSIDADE

 

Usando o celular.
Quando eu vou na casa da minha mãe para almoçar, sempre dou boas risadas, minha mãe é daquelas que limpam a casa todos os dias, faça chuva ou faça sol, e depois que termina a faxina, começa o preparo do almoço. Antigamente, após terminar tudo, e também almoçar, ela se sentava no sofá, ou para assistir TV, ou para ler a Bíblia, mas hoje em dia as coisas mudaram.
O processo é exatamente o mesmo, ela limpa a casa, faz o almoço, almoça, e depois ela pega um pequeno cobertor, arruma as almofadas, se ajeita no sofá, cobre as pernas com o cobertor, pega seus óculos e os coloca, e então pega seu celular e começa a compartilhar suas correntes no Facebook e nos Grupos da família no Whatsapp.
Mas o engraçado das mães, é que nem toda a prática que elas possuem de anos escolhendo o feijão antes de cozinhar, faz com que elas digitem rapidamente, porque não sei a de vocês, mas a minha só digita com o indicador direito.
Antigamente ela lavava a louça do almoço depois da novela do “Vale a Pena Ver de Novo” na Globo, agora ela só lava depois que termina de fazer o que tem pra fazer no Facebook e no Whatsapp, geralmente junto com a do jantar. E quando penso que só vou ver postagem dela no Feed do Facebook, ela só postou uma foto de frases bíblicas e um “Boa tarde amigos do Face!”.
 
 

QUARTA CURIOSIDADE

 

Postando fotos.
A minha mãe, geralmente, posta mais as mesmas imagens que ela recebe no Whatsapp, com pensamentos ou versículos bíblicos, mas ela adora postar também as fotos das suas proezas culinárias, que geralmente me levam direto pra sua casa pra filar a bóia, porque é sério, parece até que as fotos tem o cheiro da comida.
Mas o engraçado mesmo são as fotos dela mesma, já presenciei algumas brigas dela com a minha irmã, que geralmente é a fotógrafa. Minha irmã reclamando que de trocentas fotos que tiraram, ela queria postar justamente a mais feia.
E pra foto do perfil então, sempre soltam o cabelo, passam uma escova, um creme, penteia daqui, penteia dali, e no final tira uma foto até legal, mas na hora de postar, corta a foto, e então fica parecendo uma foto 3×4 de RG.
 
 

QUINTA CURIOSIDADE

 

Se perdendo em alto mar.
Se navegamos pela internet, então podemos dizer que nossas mães não possuem nem bússola, nem mapa, na verdade enquanto nós navegamos, elas deveriam ficar naquelas piscinas infantis onde a água só vai até o joelho. Mas não, elas querem ir em alto mar, e de vez em quando elas se perdem.
É muito comum, quando minha mãe está entretida em seu Facebook, de repente ela falar “Aí Jesus, como eu vim parar aqui?”, “Meu Deus, o que isso?”, “Sangue de Jesus tem poder!”, “Giovanna, me ajuda, como eu saio desse negócio aqui?”. Giovanna é a minha irmã, que sempre tem que salvar a velha, porque, aparentemente, ela não pode ver um link que sempre clica, e não me perguntem como, mas sempre acaba indo parar em algum site pornô.
 

_______________________________________________________

_______________________________________________________

 

Por hoje é só pessoal, mas na próxima terça tem mais, só não me perguntem o tema, pois ainda não sei, vocês não gostam mais de mim e não me mandam mais sugestões. (risos)
Uma ótima semana para todos.
Abraços!

 

 

 

Gill Nascimento

Anúncios

As 5 Mais… Chamando atenção no Whatsapp!

Hoje em dia todo mundo tem uma vida dupla, a sua vida social, em que cuida da casa, do trabalho e da família, e a vida virtual, onde compartilham seus momentos, para que amigos e parentes mais distantes, possam se sentir um pouco mais próximos, e saber as novidades.
Mas e quando a pessoa é solitária na vida social e dá mais preferência a vida virtual, e acaba se deparando com um dia em que todas as suas companhias virtuais, parecem ter escolhido para aproveitar a realidade fora do mundo da internet, o que fazer?
Por isso estou aqui hoje, para dar 5 dicas de como fazer os seus contatos te darem atenção na maior rede de comunicação do momento, o famoso e, às vezes, polêmico Whatsapp. Isso pelo fato de que não basta a gente chegar e mandar uma mensagem, porque corremos o risco de acabar ficando sem resposta, e nada dói mais que o famoso “vácuo”, principalmente se acompanhado dos dois vistos azuis, que podem significar “Eu vi, mas você não é tão importante assim para que eu pare o que estou fazendo, só para te responder!”.
Então se você estiver se sentindo solitário(a), e quiser conversar, mas não quiser correr o risco de acrescentar à solidão, a dor de ser ignorado, sigam as 5 dicas que darei agora…

 

PRIMEIRA DICA

 

Cause comoção.
Nada como pessoas compadecidas de uma situação triste sua para te dar total atenção, e nada como o luto para causar esse sentimento.
Então vá no Google e baixe uma imagem que represente luto, o tradicional laço negro ou a rosa negra são as melhores opções, e coloque no seu perfil do Whatsapp, coloque uma carinha triste como status, e espere, apenas espere.
Mas agora vai um dica sobre esse truque, a primeira coisa que vão perguntar é o que aconteceu e quem morreu, diga sempre que prefere não falar sobre isso, pois já está muito triste, e invente alguém querido na sua vida, e mate-o.
Claro, você corre o risco de que antes de alguém interessante venha puxar assunto, apareçam duas dúzias de parentes chatos querendo saber quem foi que morreu, mas vale a tentativa, e você estará de luto, eles entenderão o fato de você ignorá-los.

 

SEGUNDA DICA

 

Cause curiosidade.
A curiosidade é capaz de vencer o tédio, a indisposição, a antipatia e até mesmo o orgulho, se conseguir despertar a curiosidade dos seus contatos, você nunca ficará só naquele bendito aplicativo.
A frase de status é a melhor maneira de despertar a curiosidade das pessoas no Whatsapp, eu tenho vários contatos que não podem ver um status diferente do normal, seja ele triste ou enigmático, que surgem perguntando o que significa, uma vez testei essa teoria, só para ver, e funcionou maravilhosamente bem, umas dez pessoas me chamaram na hora seguinte a atualização de status.
Inclusive, vou dar como exemplo a mesma frase, coloque no seu status algo do tipo “Meu Deus do céu, eu não acredito que isso aconteceu comigo :(“, e novamente, apenas aguarde.
Claro, como na primeira sugestão, existe um porém, como o risco de que surjam pessoas já arriscando adivinhar o que aconteceu, e você pode se decepcionar, com algo do tipo “O que houve? Terminou com o namorado? Eu disse que ele não prestava!”.
Mas vale a pena arriscar, pessoas curiosas não abandonam uma conversa enquanto não matam sua curiosidade.

 

TERCEIRA DICA

 

Cause espanto.
Nada como pessoas surpresas, para darem atenção pra gente no nosso momento de carência virtual, mas a pergunta que fica é:
“Como causar espanto nos contatos?”
Isso não é difícil, mas essa dica é melhor não se aplicar em todos os contatos, então primeiramente vá em configurações, conta, privacidade, e coloque todas as opções, foto do perfil, visto por último e status, para apenas seus contatos verem, e então bloqueie os contatos que você não gostaria de causar espanto, e até decepção.
Depois de feito isso, fique só de lingerie, ou só de cueca, ou completamente sem roupa se preferir, vá em frente ao espelho da sua casa e tire uma foto, e coloque no perfil. Pra completar, coloque no status “Bebi demais, não me julguem!”. E mais uma vez, espere, o que aparecerá de gente perguntando se você enlouqueceu, não vai dar nem pra contar.
Claro, essa opção também têm seus riscos, como o fato de as pessoas que você bloqueou para não verem sua foto, ficarem sabendo pelas pessoas que voce escolheu, sobre o seu pequeno surto de indecência.

 

QUARTA DICA

 

Deixe as pessoas confusas.
Claro que nem sempre podemos esperar que as pessoas nos chamem, e pode acontecer de você não ter todos os tipos de contatos como eu, que vai dos curiosos aos depravados, então também pode vir a ser necessário atacar mais abertamente.
Existe uma função muito boa e pouco usada naquele aplicativo, a não ser por aquelas pessoas que adoram enviar as famosas “correntes”, a chamada Lista de Transmissão, então se prepare para dar a ela uma nova utilidade.
Clique em “Criar Lista de Transmissão”, selecione os contatos que gostaria de bater um papo, e então mande uma mensagem simples, mas que deixará todos sem entender nada, algo como “Vai se ferrar, eu te odeio!”, e espere as respostas, depois é só dizer que mandou por engano, que era pra outra pessoa, curiosos farão o papo rolar querendo saber quem você odeia e quer que se ferre, as outras você terá que se esforçar um pouco mais.
Cuidado, pode acontecer de você receber respostas do tipo “Vai se ferrar você, eu te odeio ainda mais!”, mas é um risco que será preciso correr.

 

QUINTA DICA

 

Seja menos seletivo.
Se você quer mesmo falar com alguém, e não importa com quem seja, essa é a dica com maior chance de sucesso, cem porcento eu diria, mas pra essa dica você precisa ter disponibilidade de tempo, e principalmente paciência, e dessa vez não é para esperar, mas sim para dar atenção a todos.
Basta você clicar na opção “Criar novo Grupo”, adicionar todos os seus parentes da lista de contatos, e colocar um título no Grupo como “Melhor Família do Mundo”, e esperar alguns segundos, pela mensagem da primeira tia que digita pelos cotovelos.
Nessa dica, o único risco que você corre, é o de se arrepender de ter feito isso, apenas alguns minutos depois.

 

_________________________________________________________

_________________________________________________________

 

Por hoje é só, pessoal, mas terça que vem tem mais, estou sem tema definido ainda, mas podem ter certeza que irei caprichar, ou ao menos tentar.
Me mandem sugestões de tema, estou precisando (risos), e claro, como sempre digo, vou adorar atender aos vossos pedidos, e fazer o meu melhor pra superar as expectativas ao atendê-los.
Fiquem na paz…
Abraços!

 

 

 

Gill Nascimento

Papo de Bar… Um pouco de virtualidade na realidade!

Meus amigos e eu, quando nos juntamos em volta de uma mesa de bar, geralmente deixamos nossos celulares completamente de lado, às vezes, principalmente quando há alguma mulher no meio, o máximo de uso dado para os aparelhos, são casuais fotos para depois serem postadas em alguma rede social, mas fora isso, geralmente eles ficam esquecidos mesmo.
No penúltimo fim de semana, um colega que estava juntamente comigo e outros colegas, tomando umas para esquecer da correria que tem sido no trabalho e para relaxar, não estava obedecendo essa nossa regra, devido o fato de uma prima ter se casado e ele não ter comparecido, por estarmos viajando, então ele estava vendo no Facebook as fotos e os comentários para saber o que perdeu.
Então do nada, já meio ébrio, fiz uma pergunta para eles: O que vocês fariam se a vida real, fosse como uma Rede Social?
E obtive algumas respostas bem interessantes…
Logo de cara um deles falou:
“Com certeza eu usaria e abusaria da função bloquear. Tem muita gente na minha vida que eu adoraria esquecer, não saber o que se passa com elas e não deixá-las saber o que se passa comigo, seria ótimo ter essa função sem restrições.”
E todos concordaram que seria realmente bom demais mesmo.
Outro continuou:
“Eu adoraria ter a função MUTE do Twitter, ou até mesmo o UNFOLLOW, só pra não ter que lidar com as besteiras que algumas pessoas dizem, porque o que mais conheço nesse mundo são pessoas que, quando pensam em algo útil e aproveitável, guardam para si, mas adoram uma plateia quando tem alguma merda para falar.”
E outra vez todos concordaram que seria maravilhoso ter essas funções disponíveis na vida real.
Dando continuidade, outro colega acrescentou:
“Com certeza poder ficar offline seria a melhor, porque na vida real quando a gente quer se desligar de tudo, ficar sozinho, curtir o silêncio e um pouco de solidão, e até mesmo sermos antsociais, parece que todo mundo lembra da nossa existência e resolvem nos procurar, tornando impossível ter um pouco de paz e sossego.”
Fomos todos, mais uma vez, obrigados a concordar, essa função seria algo Divino e usado com muita, mas muta frequência mesmo.
Continuando a lista de funções, dei minha contribuição:
“No meu caso eu adoraria ter a opção de apagar o histórico, esquecer de certas coisas, ocasiões e pessoas, limpar a existência disso do meu servidor, junto com a opção de ficar offline, acho que seria a maneira ideal de encontrar a paz em sua plena perfeição.”
E a concordância geral mais uma vez reinou na mesa.
E as sugestões continuaram vindo, o primeiro a falar deu sua segunda opinião:
“Eu gostaria muito de ter também a opção de Inbox particular  com Criptografia nas minhas conversas privadas, porque parece ultimamente que todas as paredes as quais fico envolto, possuem ouvidos, a palavra particular tem perdido completamente o sentido.”
Essa opção seria ótima, menos para as minhas vizinhas e tias fofoqueiras, mas a concordância mais uma vez foi geral.
E as sugestões seguiam para a segunda volta na mesa, o segundo a falar deu mais uma ótima dica:
“Eu adoraria que a minha vida tivesse uma conta pró, só pra eu poder cortar os anúncios, não é porque trabalho com isso que significa que gosto de ver, além de cortar também a auto promoção de algumas figuras que me enchem o saco. Pagaria por essa regalia com todo prazer.”
Os outros e eu, com certeza absoluta também pagaríamos.
Então o terceiro falou novamente:
“A opção compartilhar seria bem legal, tem tanto conteúdo bom por aí que eu adoraria disseminar, pra colocar dentro da cabeça de algumas pessoas um pouco de juízo e conteúdo, e fazer isso com uma de cada vez dá muito trabalho, pois tem muita gente imbecil na minha vida.”
Todos concordaram, menos eu, que disse que com os imbecis eu usaria a função bloquear, então de nada adiantaria.
Então finalizei, mas não citando uma função que gostaria de ter, mas uma que eu desativaria com certeza:
“A função dos comentários, essa com certeza eu odiaria ter, até porque já tenho, tudo que faço ou que falo resultam em muitos comentários que eu adoraria dispensar, mas que não posso, os haters e os stalkers me amam, e não me deixam em paz, já estou quase começando a acreditar que minha vida é mais interessante do que eu vejo.”
E dessa vez a concordância veio até das mesas vizinhas.
A conclusão que chegamos é que a vida virtual é uma simulação da vida social que adoraríamos ter, e então mudamos de assunto, porque já tinha gente pensando em cometer suicídio virtual, pra não mais se iludir.

 

 

 

Gill Nascimento

Esse mundo moderno…

image

É incrível como o Século XXI facilitou a comunicação entre pessoas que estão longe umas das outras, não é mesmo?
Mas, às vezes, não estou pronto para toda essa facilidade e instantaneidade, pois essa rapidez tem uma feia mania de gostar de nos pegar de surpresa.
Um exemplo foi o que me ocorreu durante minha viagem de trabalho para Buenos Aires, chegou um momento em que eu já estava achando estranho a falta de mensagens dos familiares, já que tinha recém me recuperado de um longo período de variadas enfermidades, com as quais dei muito trabalho para a minha família, então meio que ainda esperava um certo nível de preocupação. Então quando já estava convencido de que eles enfim tinha acreditado nas minhas afirmações de que estava bem, me chega uma mensagem no Whatsapp, da minha mãe, bem simples na verdade, dizia o seguinte:
“Filho, estou com saudades. Te amo!”
Eu sou uma pessoa simplória, que sempre achou que quanto menos palavras usadas para expressar um sentimento, melhor, então podem imaginar o quanto fiquei feliz com uma mensagem diferente das normais cheias de perguntas preocupadas, e repletas de conselhos, como se eu fosse uma criança que mal aprendeu a atravessar a rua. Quando estava prestes a responder a mensagem com muito carinho, minha mãe manda outra completando:
“Desculpa, mandei errado, era para o seu irmão!”
Fiquei sem palavras, e simplesmente não respondi, mas tudo bem, meu irmão também merece um pouco de atenção, mesmo sendo vizinho dela.
Ainda em Buenos Aires recebi um SMS por engano, de alguém que até agora não sei quem é, e que dizia o seguinte:
“Como foi a reunião na escola das crianças? Tudo bem? Não esquece de deixar elas com a mamãe para sairmos assim que eu chegar!”
Uma pessoa normal responderia que a mensagem foi enviada por engano para ela, pois vai saber se o verdadeiro destinatário é uma pessoa responsável, não é mesmo? Além do mais envolvia crianças no meio. Ou então nem se daria ao trabalho de responder. Mas convenhamos que eu não sou nem um pouco normal, então respondi:
“Crianças? Escola? Sua mãe? Sairmos? Ih ferrou, esqueci geral, só acordei agora!”
Sei lá a encrenca que essa resposta pode ter ocasionado, mas me diverti imaginando, depois eu me confesso e peço perdão.
Uns dias antes de receber essas mensagens, recebi no Whatsapp (campeão dos micos) um áudio de mais de 4 minutos de uma amiga e ex colega de trabalho, e antes mesmo de baixar o áudio chegou a segunda mensagem em tom de desespero:
“Gill, por favor, ignore esse áudio e apague, mandei por engano pra você, mas era pra uma amiga, pelo amor de Deus, não ouça!”
Orra, cá entre nós, foi o mesmo que implorar para eu ouvir. Mas fui um amigo legal, e apaguei antes de ouvir. Porém, ela acha que eu não ouvi, já que os vistos não ficaram azuis, mas antes de apagar na conversa, fui na pasta de mídia do Whatsapp e copiei o arquivo para outra pasta. Ainda não comentei com ela que ouvi o áudio em que ela fala mal de um dos meus melhores amigos, e que por outro lado fala muito bem (até demais) de mim. Pessoalmente será bem mais divertido.
Em questão de comunicação instantânea, eu ainda prefiro o bom é velho telefone, que muita gente até esquece que o celular possui essa função, quando o assunto é mensagens, até respondo, mas chega um certo ponto que me dá agonia e vontade de encerrar a conversa. Acho que sou das antigas, se é pra escrever, prefiro um bom e velho email.
Quando foi decretado o falecimento do Messenger do MSN, eu meio que pensei que essa febre das mensagens instantâneas ia abaixar um pouco, mas aí o danado do Whatsapp ficou tão popular quanto, até mais na verdade, e tudo voltou, e bem pior.
Recentemente na última queda do Whatsapp, uma quantidade surpreendente de pessoas foram chorar nas Redes Sociais devido isso, como se alguns dias sem o aplicativo fossem matá-los.
Alguns chegaram ao ponto de instalar aplicações semelhantes para se comunicar com os amigos virtuais e eu não entendi, eles passaram pelas mensagens privadas das Redes Sociais a nova forma de contato, mas porque não conversaram por ali mesmo?
E tem o tal dos vácuos, esses danados são temas de várias chorumelas pelas Redes Sociais. A pessoa manda uma mensagem e se em 2 minutos não recebe uma resposta, já entra em desespero.
Certa vez uma amiga reclamou do meu tempo de resposta, e então perguntei pra ela se ela já tinha ouvido falar das tais “necessidades fisiológicas”, para as mulheres até pode ser que elas não atrapalhem, mas para nós homens, ao menos no “número 1”, não dá, precisamos das mãos desocupadas.
Pra vocês terem ideia do nível de loucura que as pessoas podem chegar,um dia desses estava conversando com minha ex mulher no bendito do Whatsapp, quando ela começou gravar um áudio, mas quando passou de um minuto que ela estava gravando, eu me cansei e liguei para ela, que ficou nervosa porque atrapalhei o áudio dela. Será que ela pretendia usar para algo depois? Tipo a primeira faixa de um CD que pretende gravar, sei lá, porque senão, entre áudios de mais de um minuto e uma ligação, prefiro uma ligação.
Talvez eu que seja o chato, mas não uso muito a função de gravar áudios, então se a pessoa me manda um, gigante ainda por cima, esperando uma resposta a altura, acaba se ferrando, porque no máximo sai duas linhas escritas, e olhe lá se eu não responder apenas um “OK” sem nem mesmo ouvir a porcaria da gravação.
Tudo bem, se você, leitor, conseguiu chegar até aqui na leitura, parabéns pela sua paciência, porque até eu confesso que isso ficou uma bagunça, mas o que não anda bagunçado hoje em dia, não é mesmo?
E todos nós temos nossa bagunça pessoal onde só a gente se encontra.
Mas eu ri escrevendo esse texto, espero que tenham gostado. E quem sabe concordado.
Qualquer coisa me mandem um áudio no Whatsapp…

Mentira, me mandem um email!

_

Gill Nascimento

Papo de Bar… Grupos no Whatsapp!

image

Oi pessoal, vocês estão bem?
Como vai essa segunda preguiçosa de carnaval?
Hoje temos mais um Papo de Bar, esse ocorreu na última sexta na Vila Madalena, num barzinho chamado Capital da Vila, e resolvi fazer algo um pouco diferente.
Há um tempo atrás, minha querida e linda amiga, Juliana Lima do Blog Fabulônica, me sugeriu um tema para um texto humorístico, falar sobre Grupos do Whatsapp, e então resolvi jogar esse tema na mesa do bar e ver no que dava.
E quem não tem alguma história, reclamação, e até uma comédia para contar sobre Grupos daquele maravilhoso (e demoníaco) aplicativo?
O Whatsapp elevou a interação virtual a um novo patamar com seus grupos de bate papo.
Eu não vou negar, no início eu era um viciado, fazia parte de uma infinidade de grupos, hoje em dia, graças ao bom Deus Pai, estou mais tranquilo, mas foi difícil me libertar, ficar limpo não foi fácil.
Meus amigos e eu começamos falando sobre os grupos de amigos, e sim, tivemos o nosso, em que todos que estavam nesse Papo de Bar faziam parte.
Grupo de amigos são divertidos, todos se conhecem, todos sabem como irritar ou agradar uns aos outros, então é sempre aquela bagunça enorme, são aqueles grupos que quando um fica online, praticamente todos ficam, e se você não ficar também, quando abrir o Whatsapp se deparará com uma infinidade de mensagens que terá preguiça de ler, mas lerá, porque sabe que em algum momento falaram de você, e provavelmente tirando onda com a sua cara.
Conosco era assim, até o dia em que percebemos que a interação virtual vinha diminuindo a interação pessoal, e com isso nosso nível de álcool no sangue, e nisso o grupo acabou se desfazendo.
Tem também o Grupo de amigos virtuais, e esse tipo é um que eu até gosto. Mas sempre tem aquele momento em que está todo mundo online e de repente dois membros do Grupo somem, e todo mundo já imagina que estão em um papo privado falando do restante da turma. E eu sei que acontece, porque eu mesmo já fiz isso.
Atualmente estou num Grupo assim, com uma turma maravilhosa aqui da comunidade WordPress, e como algumas das moças do Grupo, as quais não mencionarei os nomes (até porque elas não irão resistir à necessidade de se auto denunciarem aqui nos comentários), possuem outro grupo só delas, temo saber sobre o que elas falam por lá paralelamente.
Mas esses grupos são os mais comuns, e dificilmente são chatos, mas aí duas espécies de pessoas inventaram de criar grupos também, os parentes, e os colegas de trabalho.  E foi nesse momento que a linha do que é legal e a do que irrita se cruzaram.
Eu faço parte de um Grupo de família, onde o assunto principal são as fofocas das tias e as perguntas inconvenientes. Parentes possuem uma necessidade fisiológica de saber detalhes da nossa vida, e se pessoalmente eles já deixam pra fazer as perguntas sempre quando a família toda está reunida, essa funcionalidade do aplicativo facilitou ainda mais para que essa necessidade seja suprida.
E quando as minhas tias e minha mãe estão online então, e a fofoca rola solta, elas falam de tudo sobre todos, às vezes até falam de integrantes do Grupo sem perceber a gafe que estão cometendo. A empolgação é mais forte que elas.
O pior são as primas, que desde cedo já vão aprendendo a serem iguais.
Eu silenciei o Grupo da minha família por 1 ano, desde então nunca mais abri o Bate Papo, mas logo terei que abrir, pois faltam pouco mais de 30 dias para esse silêncio acabar.
Agora o Grupo de Colegas de trabalho é de longe o pior. Eu, particularmente, após o fim do expediente, adoro esquecer que existe trabalho, e esse tipo de Grupo me impede disso, pois por mais que a turma inicie assuntos diferentes, sempre acabam falando da empresa.
E esse Grupo sempre tem um papel pra cada integrante. Tem a fofoqueira que fala mal de todo mundo que não está no Bate Papo, tem aquele que sempre acaba fazendo os assuntos voltarem a ser sobre trabalho, tem aquele(a) que fala mal do chefe, aquele que reclama da empresa, aquele que agita a galera pra sair, aquele que fica mandando imagens engraçadas e de putaria, aquela que fica mandando mensagens de bom dia, boa tarde e boa noite, e o cara que odeia o Grupo e sai primeiro, puxando a fila. E esse último sempre sou eu. Já saí de uns cinco grupos de colegas.
Fora a parte de que Grupos de Colegas são de longe os com mais conversas paralelas no privado, e isso deixa qualquer um com uma pulga atrás da orelha.
E agora que o Whatsapp alcançou a popularidade nas idades mais avançadas, a coisa desandou de vez, já perdi as contas de quantas vezes vi minha mãe deixar a comida queimar.
E como se não fosse suficiente, aumentaram de 100 para 256 o limite de integrantes para um Grupo. Haja tias e colegas chatos para suprir tantas vagas.
Mas eu sou da velha guarda, ainda acredito que o melhor bate papo é aquele em volta de uma mesa, olhos nos olhos, gargalhadas, brindes, abraços e reencontros.
Mas confesso, esse tema me deu uma vontade de fazer um Papo de Bar online, só pra ver no que vai dar.

_

Gill Nascimento