As 5 Mais… Mães e a Internet!

Achando que o mundo não estava bom o suficiente, alguém criou a internet…
E não é que o Sr. Timothy John Berners Lee acertou em cheio, porque sua invenção acabou com o tédio de muita gente, além de toda praticidade que trouxe ao mundo.
O único problema nessa criação, foi que ela se tornou popular tarde demais para a geração das nossas mães, claro que muitas levam jeito pra coisa, mas em contraste com elas, tem àquelas mães que por mais que tentem, todos os dias temos que ensinar as mesmas coisas para elas, como se a informação não ficasse em suas mentes.
A minha mãe é uma dessas, e pensando nas risadas que sempre dou por causa dela e de suas habilidades como internauta, resolvi fazer hoje um Top 5 de curiosidades sobre mães e a internet.
Vamos As 5 Mais de hoje…
 
 

PRIMEIRA CURIOSIDADE

 

Mães e Webcams.
Por estar viajando a trabalho, recentemente minha irmã apresentou para a minha mãe o Skype, porque convenhamos, o roaming internacional das operadoras de telefonia brasileira ninguém merece, e a relação que minha mãe vem tendo com a webcam, na hora de falar comigo, é hilária.
Todas as vezes que ela me liga tenho que falar as mesmas coisas:
“Mãe, a senhora está muito perto da câmera!”
“Mãe, agora a senhora está longe demais, não estou te ouvindo direito!”
“Mãe, apenas sente na cadeira normalmente em frente ao computador.”
“Mãe, normalmente a senhora fica colocando a cara em frente à câmera assim?”
E quando ela se lembra que basta olhar no monitor que verá no quadradinho menor, como ela está aparecendo, aí fica tentando se ajeitar, e acaba esquecendo de conversar.
 
 

SEGUNDA CURIOSIDADE

 

Mães e Redes Sociais.
A maioria das mães são meio que padrão, por isso abandonei meu primeiro Facebook, onde se encontra toda minha família, porque não conseguia aturar minha mãe e minhas tias.
Minha mãe parece que monitorava o Facebook 24 horas por dia.
Se eu saísse com os amigos e postasse uma foto com eles num bar, ela já comentava perguntando se eu estava de carro, ou algo do tipo “Tem tempo pra ir beber com os amigos, mas não tem tempo pra vir fazer uma visita né? Não vou curtir essa foto!”.
Eu me segurava para não bloquear a velha nessas horas. E quando ía vê-la, a primeira coisa que perguntava era o porquê de eu não ter respondido seu comentário, mas ter respondido os dos outros.
Mas além dos micos que as mães nos fazem pagar, tem outra coisa que elas sempre fazem, não podem ver uma corrente, que compartilham, desconfio eu que, são nossas mães que criam essas correntes, porque não sei de onde surgem. Certa vez briguei com a minha irmã por isso, porque é outro padrão, são sempre os filhos mais novos que ensinam as mães a usar o Facebook, e a minha irmã além de ensinar a minha velha a compartilhar as correntes, ensinou ela a sair marcando todo mundo. Até hoje tem umas 100 postagens pendentes da minha lá no meu Facebook.
 
 

TERCEIRA CURIOSIDADE

 

Usando o celular.
Quando eu vou na casa da minha mãe para almoçar, sempre dou boas risadas, minha mãe é daquelas que limpam a casa todos os dias, faça chuva ou faça sol, e depois que termina a faxina, começa o preparo do almoço. Antigamente, após terminar tudo, e também almoçar, ela se sentava no sofá, ou para assistir TV, ou para ler a Bíblia, mas hoje em dia as coisas mudaram.
O processo é exatamente o mesmo, ela limpa a casa, faz o almoço, almoça, e depois ela pega um pequeno cobertor, arruma as almofadas, se ajeita no sofá, cobre as pernas com o cobertor, pega seus óculos e os coloca, e então pega seu celular e começa a compartilhar suas correntes no Facebook e nos Grupos da família no Whatsapp.
Mas o engraçado das mães, é que nem toda a prática que elas possuem de anos escolhendo o feijão antes de cozinhar, faz com que elas digitem rapidamente, porque não sei a de vocês, mas a minha só digita com o indicador direito.
Antigamente ela lavava a louça do almoço depois da novela do “Vale a Pena Ver de Novo” na Globo, agora ela só lava depois que termina de fazer o que tem pra fazer no Facebook e no Whatsapp, geralmente junto com a do jantar. E quando penso que só vou ver postagem dela no Feed do Facebook, ela só postou uma foto de frases bíblicas e um “Boa tarde amigos do Face!”.
 
 

QUARTA CURIOSIDADE

 

Postando fotos.
A minha mãe, geralmente, posta mais as mesmas imagens que ela recebe no Whatsapp, com pensamentos ou versículos bíblicos, mas ela adora postar também as fotos das suas proezas culinárias, que geralmente me levam direto pra sua casa pra filar a bóia, porque é sério, parece até que as fotos tem o cheiro da comida.
Mas o engraçado mesmo são as fotos dela mesma, já presenciei algumas brigas dela com a minha irmã, que geralmente é a fotógrafa. Minha irmã reclamando que de trocentas fotos que tiraram, ela queria postar justamente a mais feia.
E pra foto do perfil então, sempre soltam o cabelo, passam uma escova, um creme, penteia daqui, penteia dali, e no final tira uma foto até legal, mas na hora de postar, corta a foto, e então fica parecendo uma foto 3×4 de RG.
 
 

QUINTA CURIOSIDADE

 

Se perdendo em alto mar.
Se navegamos pela internet, então podemos dizer que nossas mães não possuem nem bússola, nem mapa, na verdade enquanto nós navegamos, elas deveriam ficar naquelas piscinas infantis onde a água só vai até o joelho. Mas não, elas querem ir em alto mar, e de vez em quando elas se perdem.
É muito comum, quando minha mãe está entretida em seu Facebook, de repente ela falar “Aí Jesus, como eu vim parar aqui?”, “Meu Deus, o que isso?”, “Sangue de Jesus tem poder!”, “Giovanna, me ajuda, como eu saio desse negócio aqui?”. Giovanna é a minha irmã, que sempre tem que salvar a velha, porque, aparentemente, ela não pode ver um link que sempre clica, e não me perguntem como, mas sempre acaba indo parar em algum site pornô.
 

_______________________________________________________

_______________________________________________________

 

Por hoje é só pessoal, mas na próxima terça tem mais, só não me perguntem o tema, pois ainda não sei, vocês não gostam mais de mim e não me mandam mais sugestões. (risos)
Uma ótima semana para todos.
Abraços!

 

 

 

Gill Nascimento

Anúncios

As 5 Mais… Manias chatas de leitores viciados!

image

Olá, queridos amigos e amigas, que lêem esse Blog, às vezes tão sem noção, mas sempre com a melhor intenção: Arrancar um sorriso aí de vocês!
Hoje é dia de “As 5 Mais”, e o tema de hoje é um pedido da querida Lele Zucco do Blog Marcianos Sabem Ler, que pediu um Top 5 de manias chatas de leitores viciados.
Claro, esse tema eu não poderei generalizar como faço na maioria das vezes, pois cada um tem sua mania, cada um tem suas maneiras de ler, e de lidar com os infortúnios enquanto isso.
Nesse caso então, citarei 5 manias minhas mesmo, mas como tenho notado aqui que muita gente compartilha das minhas loucuras, acho que a identificação acontecerá como sempre.
Mas vamos as cinco manias chatas de um leitor viciado:

PRIMEIRA MANIA:

Querer silenciar o mundo.
Eu, por exemplo, poderia estar lendo num banquinho no pátio de uma escola do ensino fundamental, na hora do intervalo, ainda assim, eu iria querer que todas as crianças da escola se calassem para que eu pudesse ler em paz.
Quando estou lendo dentro de ônibus, metrôs, trens, a  história se repete, minha vontade era de mandar todo mundo calar a boca porque eu gostaria de ler sossegado, mas seria perigoso que eu acabasse apanhando, ou fosse internado num sanatório, por ser mais louco do que naturalmente sou.

SEGUNDA MANIA:

Se tornar anti social.
Eu quando estou lendo, simplesmente me  desligo do mundo, mas pra minha infelicidade, invisível eu não fico.
Então quando alguém tenta falar comigo, a minha primeira vontade é de agredir fisicamente, mas sou uma pessoa pacífica, aí nesse caso resolvo simplesmente ignorar e fingir que a pessoa inoportuna é invisível.
Mas o problema é que quando tornamos as pessoas invisíveis, elas se esforçam para nos lembrar que são audíveis.
Aí voltamos lá pra cima, pro primeiro tópico.

TERCEIRA MANIA:

Tornar o livro um exemplo pra tudo.
Eu sou assim, confesso, quando estou fissurado em um livro, seja qual for o assunto que vierem falar comigo, eu vou citar o livro como exemplo, não tem jeito.
Sabe aquela hora em que você está no bar falando sobre futebol americano com seus amigos, aquele papo cheio de testosterona, e do nada você cita algo de “A Cabana” de William P. Young, e na sua mente de leitor você está completamente certo, quem não entendeu é que deveria ler mais.
Mas não, você não é mais intelectual que os outros porque lê mais, você só é mais chato mesmo.

QUARTA MANIA:

Se tornar um CSI e desenterrar tudo sobre o autor(a).
Eu sou daqueles leitores chatos, que quando se apaixona por um livro, se apaixona por quem escreveu também. Tento saber tudo sobre a vida da autora ou autor, e aí adapto essa mania chata à mania anterior.
Nessa mania, sempre que alguém vier falar com você sobre uma pessoa, seja ela famosa ou não, você sempre vão citar algo da vida do escritor ou escritora, como exemplo, deixando a outra pessoa na conversa com cara de “De quem é mesmo que esse retardado está falando?”.

QUINTA MANIA:

Declarar falência devido um autor.
Essa é pior de todas as manias, ou não, vai depender muito.
Essa é aquela mania que faz a pessoa comprar todos os livros de um escritor, só por causa de um livro dele que ela leu.
Eu por exemplo, tenho todos do Sidney Sheldon, todos da Agatha Christie, do Dan Brown, entre outros escritores e escritoras.
Tudo bem quando você lê os livros de escritores que escreveram poucos livros, e é até legal, dá um up na sua estante.
Mas e se você pega amor por um livro de um escritor como o Dr. Ryoki Inoue, por exemplo? Nesse caso pode dar adeus ao dinheiro da sua poupança, vender o carro, colocar as crianças numa escola pública, senão não vai dar não.

MANIA BÔNUS:

Se tornar uma mente criminosa. (Dica da Mayara do Blog Coelho da Lua)
Isso mesmo que vocês leram, essa mania faz os leitores viciados planejarem vários homicídios, não chegam a concluir seus planos, mas que planejam, sim, isso acontece.
Na verdade acho que deveria ser feita uma apurada pesquisa para saber se algum crime foi cometido devido isso.
Essa mania é: QUERER MATAR QUEM FAZ ORELHA EM PÁGINAS DE LIVROS.
E deixo claro, apaixonados por livros não sentem ódio ao ver isso apenas em seus livros, sentimos ódios ao ver isso em qualquer livro, seja ele de quem for.

_

Gill Nascimento

______________________________________________________________
______________________________________________________________

Por hoje é só galera, mas na próxima terça teremos mais, e o tema da vez será “Os 5 maiores micos de um casal”, pedido que eu adorei, da querida Mônica T. Maia, do Blog Boas Conversas.
E se você aí tem um tema que acha que seria legal abordar aqui nessa categoria de textos, fique à vontade para sugerir aqui mesmo nos comentários, ou se preferir, lá em cima na página de sugestões, vou adorar atender ao seu pedido.

5 Coisas que as vezes não damos importância!

image

Olá pessoal! Tudo bem com vocês?
Hoje é terça feira, dia de “As 5 Mais”, e volto a dizer, estou muito feliz com o resultado que essa categoria vem obtendo, os leitores dizendo que gostaram, que acharam uma boa categoria, e o principal, que têm se divertido lendo os textos.
Isso me deixa muito feliz.
Hoje o tema é um pedido da linda e querida Laynne, do Blog Meu Espaço Literário, ela me pediu que fizesse um top de 5 coisas que deixamos de notar a importância, eu simplesmente adorei esse pedido.
Acho que muitas pessoas aqui já devem estar imaginando uma das coisas que listarei, pois vivo citando a importância aqui, por isso serei logo óbvio, citando ela como a primeira das cinco.

PRIMEIRA:
Fazer uma pessoa sorrir. Principalmente quando ela está precisando.
Vivo falando sobre isso e sobre o quanto valorizo o gesto em si, e também sobre o quanto gosto de ser aquele que arranca sorrisos, mas nem sempre notei a importância desse gesto, até o dia em que quem precisava sorrir era eu mesmo.
Meu falecido avô costumava dizer que usamos mais máscaras do que nossa própria face, e demorei para entender o que ele sempre quis dizer.
Ele queria dizer que sempre pintamos em nosso rosto uma falsa realidade, para não despertarmos a curiosidade ou a pena de ninguém.
Quando entendi, abandonei as máscaras, e quando abandonei as máscaras, ganhei muito mais sorrisos sinceros.

SEGUNDA:
Com certeza, abraços.
Por vezes me indignei com a desvalorização de tal gesto. Eu sou um tipo de pessoa que não dou um abraço falso. Se eu tiver que dar um abraço sem todo o simbolismo que isso implica, dou um aperto de mão.
Pra mim um abraço é um gesto de carinho inigualável, assim como um beijo, o abraço transmite o sentimento nele contido.
Um abraço verdadeiro fala, em silêncio ele é capaz de dizer tudo aquilo que o coração esconde.
Então como não citar o abraço?
Principalmente o abraço de reencontro, recheado de saudade e com cobertura de “não vou mais deixar você ir”.

TERCEIRA:
Algo que valorizo muito, é o sentimento de dever cumprido.
Sabe aquela satisfação de ver o resultado de algo criado a partir do seu esforço, dedicação e suor?
Incrível né?
Lembro quando descobri o prazer desse sentimento, e o valor que ele contém, eu tinha uns 14 anos, e montei peça por peça a bicicleta dos meus sonhos. Desde então sempre que tenho algo para fazer que demanda tempo, esforço, dedicação e suor, a ansiedade por essa sensação toma o lugar da preguiça.
Óbvio que nem preciso dizer o quanto isso é importante e pode fazer a diferença na vida de uma pessoa com objetivos à cumprir e obstáculos para superar.
Pra mim é mais que um prazer pessoal, é uma forma psicológica de incentivo.

QUARTA:
Uma que pouca gente dá o real valor, é fazer aquilo que te faz bem.
Aí algumas pessoas estão lendo e concluindo: “Ah Gill, mas quem é que faz aquilo que faz mal para si mesmo?”.
Eu poderia citar muitos tipos de pessoas que fazem isso, mas o foco é justamente o contrário.
Muita gente não faz nada que lhe faça mal, mas também deixa de lado o que faz bem. Aquelas necessidades mais simples, sabe?
Se vocês me perguntassem agora o que me faz bem realmente, que é capaz de me deixar feliz, eu faria uma lista imensa. Aí depois eu ficaria triste ao perceber há quanto tempo não faço a maioria das coisas listadas.
Motivos?
Falta de tempo, julgamentos da sociedade, vergonha, falta de coragem. São tanto a os motivos que nos fazem deixar essas coisas de lado. Fico triste só de pensar.

QUINTA:
Acho que das cinco coisas que deixamos de notar importância, essa é a maior e mais altruísta: ENSINAR.
Todos nós temos muito nesse mundo para aprender, mas também temos muito o que transmitir.
As lições mais importantes que aprendemos, é a própria vida que nos ensina, e pra cada um a lição é diferente, daí a importância de ensinar, compartilhar o aprendizado.
Lembro do meu pai uma vez fazendo uma analogia sobre a vida:
“- A vida é como um jogo de vídeo game, filho, você pode ler um manual, você pode baixar um tutorial na internet, mas os macetes, os truques e as lições que vão te ajudar a vencer, você só vai aprender na prática, ou então receber as dicas de alguém que já passou pela fase em que você se encontra atualmente. Não existem atalhos, existem apenas modos mais tranquilos e fáceis de vencer, que não estão evidentes, foram descobertos por pessoas que passaram pelo mesmo que você está passando!”
Eu aderi essa analogia, pois é uma grande verdade. Sou uma pessoa que dispensa conselhos, mas abraça exemplos.
E não existe melhor maneira de ensinar, do que com um bom exemplo e uma boa história pra contar.

_

Bem pessoal, por hoje é isso, espero que tenham gostado. Na próxima terça o tema será “5 Alegrias do dia a dia”, pedido da Glau Palhares do Blog Beauty By Glau. Com certeza será um tema divertido pra se trabalhar!

Abraços!

_

Gill Nascimento